Castro Marim conquista quinto galardão de «Autarquia + Familiarmente Responsável»


O Município de Castro Marim foi distinguido, pelo quinto ano consecutivo, com o galardão de «Autarquia + Familiarmente Responsável», pela Associação Portuguesa das Famílias Numerosas, que premeia as melhores políticas sociais e de apoio às famílias conduzidas, este ano, por 61 municípios portugueses. As distinções serão entregues numa cerimónia a ter lugar no dia 29 de novembro, pelas 17h, no Auditório da Fundação CEFA, em Coimbra.
Por ser premiado há mais de três anos consecutivo, ao município castromarinense será atribuída uma Bandeira com Palma, que assinala a continuidade das iniciativas e medidas sociais aqui têm sido desenvolvidas. “Este compromisso de continuar a promover o bem-estar e qualidade de vida das famílias é uma prioridade”, assumiu o presidente da Câmara Municipal de Castro Marim, Francisco Amaral.
A autarquia de Castro Marim tem vindo a desenvolver mais auxílios e políticas sociais, algumas inovadoras a nível nacional, como o programa municipal de combate à obesidade, já com mais de 150 aderentes. Outra das iniciativas de maior sucesso e com enorme melhoria da qualidade de vida dos envolvidos foi o programa de cessão tabágica, que totaliza atualmente cerca de 200 utentes e regista uma taxa de sucesso na ordem dos 85 por cento. Este reconhecimento de «Autarquia + Familiarmente Responsável» é fruto de um conjunto de ações em várias áreas, não só na de apoio direto às famílias, mas também no âmbito do urbanismo, educação e formação, transportes, saúde, cultura, desporto e habitação.
Entre um amplo conjunto de iniciativas, medidas e programas implementados no território castromarinense, nas mais diversas áreas, destacam-se o programa municipal de financiamento ou realização de obras de reabilitação em habitações das famílias mais carenciadas; a isenção do pagamento do projeto de obras e das taxas urbanísticas; a habitação social, destinada aos munícipes que não tenham habitação própria e não possuam bem e/ou rendimento que lhes permita a aquisição de uma, em regime livre ou em regime de arrendamento; a atribuição de bolsas de estudo para estudantes do ensino secundário e superior; os auxílios económicos atribuídos a alunos do ensino básico pertencentes a agregados familiares de fracos rendimentos, para aquisição de material escolar; o transporte escolar gratuito; a pioneira Unidade Móvel de Saúde, com atendimento médico. Atendendo ao flagelo do desemprego, a autarquia pode ainda apoiar as famílias mais carenciadas no pagamento de parte do arrendamento.