O primeiro espetáculo a solo de Guilherme Duarte, autor do conhecido blogue «Por Falar Noutra Coisa», ruma à capital algarvia para uma apresentação no Teatro das Figuras, no dia 23 de novembro, pelas 21h30. Ao longo de mais de hora e meia, o comediante promete fazer o público rir com o seu humor carregado de ironia e sarcasmo, onde irá falar de várias e até de diversas coisas. E tudo principiou há cerca de quatro anos, quando o engenheiro informático decidiu passar a colocar cá para fora a sua visão sobre determinados assuntos do quotidiano, através do blogue e de uma página de Facebook. “Com o decorrer do tempo comecei a fazer alguns espetáculos de stand-up comedy em bares pequenos para perceber se tinha jeito para isso ou não, depois fiz alguns sketches, seguiram-se três livros, foi uma autêntica bola de neve. Em 2017 apostei, então, num espetáculo a solo, num processo gradual em que fui testando diferentes formatos”, explica o entrevistado, poucos dias antes de rumar a Faro.
Criar um blogue é, nos tempos modernos, uma tarefa relativamente fácil, mais complicado é, porém, escrever com regularidade e até conseguir fazer disso o seu sustento, a sua atividade profissional. Mas esse foi o propósito de Guilherme Duarte, embora reconheça que o blogue, só por si, não dá para pagar as contas ao fim do mês. “Contudo, por causa do blogue apareceram as atuações ao vivo, as crónicas no «Sapo 24», as participações em eventos empresariais. Como são muitas atividades, dá para não passar fome”, assume, com um sorriso. “Até agora ainda não estou arrependido de me ter despedido do trabalho anterior”, reforça.
Engane-se, todavia, quem pensa que viver da comédia se resume a escrevinhar umas patetices e repeti-las na rádio, na internet, num auditório ou teatro. “Antes de passar qualquer coisa para o papel tenho que fazer a minha investigação, especialmente nas crónicas mais longas. Para além disso, tenho que estar atento a tudo o que se passa ao meu redor e no plano nacional e internacional, para manter um processo criativo constante. Estou sempre a tomar notas daquilo que vejo no dia-adia e que acho que possa ter interesse”, esclarece. “Mesmo quando não estou a escrever, estou a pensar no que vou fazer a seguir, a imaginar piadas. Só estou parado quando estou a dormir e, mesmo assim, às vezes sonho com isso”.   
Para que tudo isto resulte é preciso, como é óbvio, ter algum talento inato, poder de observação e sintetização, mas a stand-up comedy é uma atividade extremamente competitiva e o que não faltam são pessoas a escrever para blogues, jornais, rádios, livros ou programas de televisão. Como é que se marca, então, a diferença, como é que nos destacamos da multidão, questionamos. “É uma pergunta complicada de responder e quem nos segue é que estaria mais avalizado para o explicar. Eu limito-me a escrever e a fazer aquilo de que gosto, mas uma coisa importante é a recorrência, é criar material novo quase todos os dias para fidelizar o público. Tocar em temas polémicos também pode ajudar a ganhar popularidade, embora haja sempre pessoas que não gostam da nossa maneira de falar disto ou daquilo, mas o certo é que começam a acompanhar com mais atenção o que fazemos”, responde.
Guilherme Duarte acredita ainda que existe espaço para todos os comediantes, até porque o público deste género de trabalho nas redes sociais normalmente segue diversos humoristas, não se limitando ao que é difundido pela rádio ou televisão. Já escrever livros é outra conversa, exige uma maior preparação, mesmo quando se trata de uma simples compilação de textos já escritos anteriormente. “O primeiro e o terceiro livros são apanhados das melhores crónicas do blogue, que tiveram que ser reescritas e melhoradas, umas foram cortadas, outras fundidas, a que juntei depois algum material original. O segundo livro resultou do consultório que eu faço online, em que os leitores colocam as suas dúvidas sexuais ou sentimentais. Em ambos os casos, tenho que escolher os melhores textos e organizá-los de uma forma que faça sentido, onde a escrita seja mais fluída e sem repetições”, sublinha.
O passo mais recente do comediante foi, então, o espetáculo de stand-up comedy a solo, uma hora e meia em que pode ter algumas dezenas, ou algumas centenas, de pessoas pela frente, o que é bem diferente do que estar atrás do ecrã do computador. “Foi um salto complicado porque sempre gostei mais de escrever sossegado em casa. Estar exposto perante tantas pessoas coloca uma pressão imensa, mas pensei que estava na hora certa de avançar. O público vai para os espetáculos com uma certa expetativa e não as posso defraudar, portanto, preferi esperar até ter um produto consistente e de qualidade”, aponta. “No início peço logo às pessoas para enviarem as suas dúvidas por email ou por twitter para depois as responder no consultório, mas há também espaço para o hip-hop e para responder aos comentários ofensivos da internet. Os espetadores podem, inclusive, ir ao palco, em momentos de improviso que até têm corrido melhor do que estava à espera. Cada espetáculo é diferente, porque vou retirando o que funcionou menos bem e vou fazendo novas experiências”, termina, deixando o convite aos seus fãs para rumarem, no dia 23 de novembro, ao Teatro das Figuras.

Texto: Daniel Pina | Fotografia: Pau Storch 

O Teatro das Figuras, em Faro, recebeu, nos dias 16 e 17 de novembro, o espetáculo do carismático Joaquim Monchique «Mais respeito que sou tua mãe!», que foi visto por mais de 75 mil espetadores em duas temporadas repletas de êxito em Lisboa.
A mãe de família e dona de casa mais desesperada da Baixa da Banheira e de Portugal, Esmeralda Bartolomeu, continua a sua luta pela sobrevivência no caos de um seio familiar onde tem de lidar com um marido desempregado que só tem apego a futebol; um sogro de 80 anos tão ou mais adicto à marijuana que o seu filho mais novo; uma filha adolescente com um comportamento sexual mais desenvolvido (e desenvolto) que o seu; e um filho mais velho que é gay, e depois deixa de ser… e depois volta a ser… e depois deixa de ser outra vez.
O aguardado regresso de «Mais respeito que sou tua mãe!» assinala os 30 anos de carreira de Joaquim Monchique que, para além de interpretar Esmeralda Bartolomeu, assina igualmente a encenação e adaptação de uma das peças de maior sucesso na Argentina, de autoria de Hernán Casciari. A seu lado em palco tem Luís Mascarenhas, Joel Branco, Tiago Aldeia, Sofia Arruda, Rui Andrade, Diogo Mesquita, Bruna Andrade e Leonor Biscaia.

Texto: Daniel Pina | Fotografia: Daniel Pina

Leia a reportagem completa em:
https://issuu.com/danielpina1975/docs/algarve_20informativo_20_23133

De 9 a 12 de novembro, o Castro Marim Golf & Country Club foi palco da grande final da European FootGolf Tour, com mais de uma centena de atletas de todo o mundo a mostrarem os seus dotes numa modalidade que, como o próprio nome indica, combina o futebol com o golfe. O desporto já é praticado há alguns anos em Portugal, mas ganhou um fôlego acrescido, em 2017, com a criação da Associação Nacional de FootGolf de Portugal.

Texto: Daniel Pina | Fotografia: Daniel Pina

O Castro Marim Golf & Country Club, em Castro Marim, acolheu, de 9 a 12 de novembro, a European FootGolf Tour Grand Final, ou seja, a derradeira e decisiva etapa do Campeonato da Europa desta modalidade que não é mais do que uma mistura de futebol com golfe. Assim sendo, o terreno é um tradicional campo de golfe de nove buracos em que os buracos do green são adaptados ao diâmetro de uma bola de futebol, bola essa que substitui a pequena bola de golfe. Depois, os pés assumem o papel do taco de golfe e o objetivo é o mesmo: chegar ao final com o menor número possível de tacadas, melhor dizendo, de chutos na redondinha.
Foi isso mesmo que assistimos logo pela manhã de domingo, o último dia da competição, onde se ficaria a conhecer o novo Campeão da Europa de FootGolf. Jogadores de todas as idades e de ambos os sexos, de polos e calções coloridos a identificar os seus clubes, meias pelos joelhos, bolas de futebol coloridas debaixo dos braços para que não haja confusão no recinto de jogo. Chegados ao tee, analisam as condições climatéricas, nomeadamente o vento, olham para o perfil do green, onde estão as inclinações do terreno, os bunkers de areia, lá ao longe o ghole, a meta, o buraco onde deve ser enfiada a bola. E não se pense que se trata apenas de chutar para a frente com o máximo de força, há que definir bem a estratégia de ataque ao putting green.
Bem vistas as coisas, o modo de pensar é bastante semelhante ao do golfe, há que decidir a melhor forma de fazer a aproximação ao buraco, com a diferença que, aqui, não existem tacos de madeira ou de ferro específicos para cada distância, apenas o pontapé, com mais ou menos efeito, com mais ou menos força. Táticas e estratégias que são perfeitamente visíveis nos atletas estrangeiros que participaram nesta final do Campeonato de Europa disputada em Castro Marim, numa modalidade que cresceu bastante nos últimos seis meses em território nacional, coincidindo com a constituição da Associação Nacional de FootGolf de Portugal. “É um desporto simples e que qualquer pessoa pode praticar, com as regras do golfe, mas jogado com o pé e uma bola de futebol”, resume Ricardo Esteves, o presidente da associação, explicando que também aqui existem 18 buracos, ou gholes.

Tavira assinalou a Semana da Diabetes, de 13 a 19 de novembro, com muitas atividades no Mercado da Ribeira, no Clube de Tavira e noutros espaços da cidade do Rio Gilão. O objetivo foi sensibilizar para a prevenção de uma doença que afeta, em Portugal, mais de um milhão de pessoas de todas as idades.

Texto: Daniel Pina | Fotografia: Daniel Pina

O Dia Mundial da Diabetes começou, no dia 14 de novembro, em Tavira, com a apresentação do «Olhar para o Futuro - Projeto Comunitário Viver Bem com a Diabetes», mudando depois o cenário da Semana da Diabetes para o Mercado da Ribeira, onde houve lugar a várias atividades com alunos dos estabelecimentos escolares do concelho, designadamente uma aula de hip hop kids com a professora Joana Baltazar, um círculo humano «unidos pela diabetes», a criação de um mural da saúde com as crianças e a largada de balões azuis. Da parte da tarde decorreu a ação «Prevenir… é o melhor remédio para a diabetes!», destinada à população adulta e sénior e rastreios efetuados por profissionais de saúde certificados.
Esta data é celebrada, desde 2011, com o intuito de sensibilizar e consciencializar a população para a prevenção e controlo da doença, assim como para promover a cidadania saudável. E o aumento acentuado da prevalência da diabetes é, de facto, preocupante, em Portugal e no mundo, pelo que é fundamental unir esforços na luta contra a sua expansão e reduzir os danos morais, físicos e económicos associados a esta patologia. Quanto à Semana da Diabetes de Tavira, é uma organização da Unidade de Cuidados na Comunidade Talabriga (integrada no Aces Algarve III Sotavento da ARS Algarve, I.P.) em parceria com a Câmara Municipal de Tavira. A U.C.C. Talabriga desenvolve diversos projetos comunitários como a «Literacia em Saúde» e «Viver com a Diabetes», que engloba a Semana da Diabetes, nomeadamente através da realização de várias ações comunitárias de prevenção e controlo da doença.
Na sessão de abertura, Paulo Morgado, presidente da Administração Regional de Saúde do Algarve, salientou que “a saúde uma componente essencial das nossas vidas, e sem a qual não podemos aceder a outros bens”, daí a importância da realização de parcerias desta natureza. “A Semana da Diabetes já foi considerada uma boa prática a nível nacional e gostaria que outros municípios agarrassem esta ideia. O trabalho nunca está feito, é preciso continuar a apostar nesta área, algo que os profissionais de saúde fazem todos os dias. O que ambicionamos é ter um Algarve cada vez mais saudável”, sublinhou o responsável da ARS Algarve.
Pelo mesmo diapasão afina Jorge Botelho, presidente da Câmara Municipal de Tavira, apelando a que se coloque uma maior ênfase na prevenção e no prolongamento da saúde das pessoas, ao invés de se olhar apenas para o controlo e tratamento das doenças. “Em setembro tivemos em Tavira a reunião intergovernamental das sete comunidades representativas da Dieta Mediterrânica e o colega italiano revelou que, na zona de Nápoles, existia um número anormalmente diferenciado, para melhor, de pessoas que viviam com qualidade de vida para cima dos 100 anos de idade. Queremos provar à UNESCO que os nossos padrões alimentares têm um efeito diferenciador na longevidade com qualidade de vida, algo que depois tem efeitos, por exemplo, nos sistemas de Saúde e da Segurança Social”, frisou o autarca tavirense.

A Associação ArQuente apresentou, no dia 15 de novembro, na Sociedade Recreativa Artística Farense «Os Artistas», a sua produção «Scroll», uma performance que testa as fronteiras, que vai mais além do teatro convencional, completamente «fora da caixa», se assim se pode dizer. E os espetadores que esgotaram a sala deixaram-se envolver e aceitaram o desafio para, por momentos, se tornarem eles próprios participantes ativos deste «Scroll».

Texto: Daniel Pina | Fotografia: Daniel Pina

A associação cultural farense ArQuente já nos habituou a produções fora do normal, que não seguem os padrões convencionais do teatro, porque o seu objetivo é espicaçar as pessoas, fazê-las pensar, até sair incomodadas de algumas performances. E «Scroll» é disso um perfeito exemplo, como se assistiu, no dia 15 de novembro, n’ «Os Artistas» de Faro.
O espetáculo conviveu muito diretamente com o público, sendo construído sobretudo com a improvisação dos sete intérpretes em palco. Palco que também é diferente, já que os atores e o público estavam sentados numa roda de cadeiras e foi no seu interior que se desenrolou toda a cena, num formato arrojado, questionador e sem rede da autoria de Gil Silva, com Teresa Silva no apoio à direção. As interpretações estiveram a cargo de Alejandra Rodrigues, Ana Nunes, Armando Batista, Fúlvia Almeida, Henrique Prudêncio, Maria Adelaide Fonseca e Tata Regala, mas também o responsável pela luz, Jorge Pereira, e o sonoplasta Cláudio Felisberto desempenharam um papel primordial, pois nem a música nem a luz estavam previamente definidos.
Num improviso praticamente total, há apenas duas constantes em cada ida a cena de «Scroll»: sabe-se qual é a atriz que dá o «pontapé-de-saída» e sabe-se qual a música que indica que a peça entra na reta final. De resto, vai-se um pouco ao sabor da corrente, mas a ideia original não era esta, confessa Gil Silva. “O texto que tínhamos escolhido abordava as relações muito íntimas existentes no seio de um grupo e percebemos que precisávamos criar essa dinâmica no nosso conjunto de atores. Começamos por fazer perguntas para saber o que eles pensavam sobre temas mais ou menos fraturantes, depois, pedimos-lhes para irem para o palco e improvisarem sobre as coisas que tinham aprendido uns dos outros. Entretanto, eu e a Teresa Silva apercebemo-nos que esse material era espetacular e que seria um desperdício não o aproveitar”, conta Gil Silva.
A decisão de abandonar o texto original foi rapidamente tomada, mas com a consciência de que o trabalho iria ser bastante mais arriscado, para os encenadores e para os atores, devido à exposição a que se propunham. “No fundo, nem sequer há uma encenação, apenas uma ideia original e uma condução, da minha parte e da Teresa, para que este jogo funcione e tenha dinâmicas que possam ser partilhadas com o público geral”, explica. Contudo, não haver guião não significa que não seja necessário efetuar ensaios, antes pelo contrário, assegura Gil Silva. “Eles têm que se saber respeitar uns aos outros, perceber o espaço e os tempos de cada um, o que exigiu quase seis meses de preparação”.

O Cine-Teatro Louletano apresentou, no dia 17 de novembro, a estreia em território algarvio de «Síndrome», o mais recente espetáculo da prestigiada Companhia Olga Roriz. Em palco assistiu-se a uma proposta inquietante e intensa, entre teatro e dança contemporânea, cujo grande tema é a experiência do humano perante a catástrofe: o que resta, como se reage e o que se sente depois de uma calamidade?
«Síndrome» parte do espetáculo «Antes que matem os Elefantes», transformando-o num novo espaço, solitário e individual, envolto num ambiente de utopia como uma suspensão da realidade, em busca do que ficou esquecido, do que se perdeu. “Homens e mulheres de cal, numa cidade ainda em guerra, carregam as memórias dos gestos. Come-se pão, fala-se sobre a dignidade humana, sobre a solidão. Vive-se a verdade, as expetativas, as aspirações e desencantos. Baralham-se as convenções, e faz-se daquele lugar um outro, ou apenas um palco a existir como tal, numa relação entre o ser humano, o tempo, o espaço e a matéria. Naqueles corpos reconstroem-se os afetos, o mundo imprime-se no olhar, no rosto, no corpo e nas palavras, em direção a outros caminhos do sentir. Poderá coabitar um discurso poético com um outro político, racista, religioso, sobre ataques terroristas ou os direitos humanos, a fome e os poços de petróleo, a construção do muro do México ou apenas problemas pessoais mas comuns e transmissíveis”, descreve a companhia.
«Síndrome» é uma coprodução Companhia Olga Roriz e São Luiz Teatro Municipal, com direção e coreografia assinadas por Olga Roriz, contando com os intérpretes André de Campos, Beatriz Valentim, Beatriz Dias, Bruno Alexandre, Bruno Alves, Carla Ribeiro, Francisco Rolo e Marta Lobato Faria. A seleção musical é de Olga Roriz e João Rapozo, com cenografia e figurinos de Olga Roriz. O desenho de luz cabe a Cristina Piedade e o acompanhamento dramatúrgico a Sara Carinhas, enquanto o vídeo e pós-produção áudio são da responsabilidade de João Rapozo. A montagem e operação de luz contam com João Chicó (Contrapeso) e a montagem e operação de som com Sérgio Milhano (Ponto Zurca).

Texto: Daniel Pina | Fotografia: Paulo Pimenta

Leia a reportagem completa em:
https://issuu.com/danielpina1975/docs/algarve_20informativo_20_23133

A Escola de Hotelaria e Turismo do Algarve, em Faro, recebeu, nos dias 15 e 16 de novembro, a quarta edição do «Tourism Trade Show», um misto de Bolsa de Turismo e Bolsa de Emprego organizado pelos próprios alunos da instituição de ensino com o intuito de colocar, frente a frente, empresas e potenciais colaboradores. O evento contou com um fórum «Estágios e Carreira», jornadas de empreendedorismo, perto de seis dezenas de expositores empresariais/institucionais/start-ups, workshops de bar, ateliers de cozinha e pastelaria e várias palestras e debates.
A abertura do certame contou com a presença de Luís Araújo, presidente do Turismo de Portugal, Desidério Silva, presidente da Região de Turismo do Algarve, Carlos Baia, vereador da Câmara Municipal de Faro, Francisco Serra, presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Algarve, Alexandra Gonçalves, Diretora Regional da Cultura do Algarve, entre outras entidades oficiais e, durante a visita inaugural, Paula Vicente, diretora da Escola de Hotelaria e Turismo do Algarve, confirmou a importância deste «Tourism Trade Show», logo a começar pela mobilização que gera ao nível dos formadores e alunos. “Depois, tivemos mais de 55 espaços de exposição, o que comprova que o evento está a crescer de ano para ano, e é um tremendo prazer ver um projeto que nasceu da ideia dos alunos ganhar esta dimensão. O evento está a ter um grande impacto e são as próprias empresas que nos perguntam regularmente quando é que acontece a próxima edição”.
Grandes cadeias hoteleiras, restaurantes de referência e empresas turísticas compunham o grosso dos expositores, aproveitando a ocasião para apresentar as suas ofertas de trabalho e encetar contatos diretos com potenciais funcionários. “O objetivo é precisamente promover uma relação direta com os alunos que estão na fase final dos seus cursos, que vão terminar a sua formação em janeiro ou maio do próximo ano, e que estão já à procura de um local para realizar o seu estágio curricular. Aqui, as entidades empregadoras conhecem os alunos no seu ambiente natural e estes, por seu lado, estabelecem logo uma primeira aproximação ao mercado de trabalho. É uma montra de empresas conceituadas da hotelaria, restauração e turismo, que são o nosso core business, destaca Paula Vicente.
Quanto à data de realização do evento, a experiência da organização nas anteriores edições dita que esta é a melhor altura do ano para garantir uma maior adesão do tecido empresarial. “Neste momento já não estamos na época alta do turismo algarvio, mas ainda se conseguem abrir portas para os alunos que vão sair em janeiro. As empresas também estão mais disponíveis para participar em novembro, ainda por cima com este tempo fantástico”, refere Paula Vicente, explicando que as empresas não vêm somente «apalpar o terreno», mas sim com intenções de recrutar já quadros. “Há 12 empresas a realizar sessões de apresentação e, logo de seguida, a dinamizar um espaço para entrevistas entre alunos e responsáveis de recursos humanos. Sei que alguns alunos vão ter logo colocação em janeiro, o que é ótimo”.
Alunos que, garante a diretora da Escola de Hotelaria e Turismo do Algarve, estão perfeitamente preparados para abraçar de imediato um projeto profissional. “Claro que nada impede um aluno, na sua ambição de crescer profissionalmente, de enveredar pelo ensino superior ou ir para o estrangeiro, mas, quando saem daqui, possuem as ferramentas necessárias para criar o seu próprio negócio ou para trabalhar por conta de outrem”, afiança Paula Vicente, bastante satisfeita com o êxito que o «Tourism Trade Show» alcançou em apenas quatro anos de vida. “É um evento que faz falta à região e é para isso que esta escola existe”.
Um sucesso que Luís Araújo, presidente do Turismo de Portugal, teve oportunidade de atestar in loco, salientando o facto do evento ser organizado pelos próprios alunos. “Isto demonstra o papel das Escolas de Hotelaria e Turismo de Portugal na formação turística, a qualidade dos recursos humanos que daqui saem e a necessidade do setor turístico em contar com profissionais qualificados. É uma alegria enorme ver que os nossos alunos têm um mercado de trabalho vastíssimo à sua espera”, apontou o dirigente. “É pena que não haja mais iniciativas destas ao longo do ano, porque se percebe que qualquer um destes alunos também pode ser um empreendedor, montar o seu negócio, criar a sua empresa”, concluiu.

Texto: Daniel Pina | Fotografia: Daniel Pina

Leia a reportagem completa em:
https://issuu.com/danielpina1975/docs/algarve_20informativo_20_23133

O Município de Albufeira vai organizar, no dia 4 de dezembro, uma Palestra Motivacional no seguimento das celebrações do Dia Internacional das Pessoas com Deficiência, que irá contar com a colaboração da jornalista Mafalda Ribeiro e do ator Paulo Azevedo. Para assinalar esta data comemorativa, Mafalda Ribeiro, com o tema «Por cada volta um obrigado» e Paulo Azevedo, com «A palavra é superação», irão apresentar algumas histórias inspiradas nas suas vidas reais, com as quais pretendem consciencializar os convidados acerca dos assuntos relativos à deficiência, mobilizando a defesa da dignidade, dos direitos e o bem-estar das pessoas.
A iniciativa procura demonstrar que a deficiência não pode ser vista como uma barreira social e que é necessário eliminar a desigualdade e promover a inclusão social e profissional das pessoas com deficiência. A palestra irá decorrer entre as 10h e as 13h, num hotel da cidade, sendo dirigida a pessoas de todas as idades. A entrada é livre, mas sujeita a inscrição, que deverá ser feita através do telefone: 289 599 684 ou pelo e-mail: solange.azevedo@cm-albufeira.pt , de segunda à sexta, entre as 9h às 17h.

Prosseguindo uma política de proteção e valorização do seu património histórico e valorizando a sua identidade cultural, a Câmara Municipal de Loulé vai encetar obras de reabilitação num dos principais ex-líbris do Concelho - a Igreja Matriz de Loulé. Os trabalhos a realizar irão incidir em três intervenções distintas: a recuperação dos retábulos e altares e do pórtico de entrada; a recuperação e beneficiação do edifício com vista a resolver anomalias construtivas, funcionais e de segurança; e a regeneração do espaço envolvente.
Ainda em novembro deverá avançar a intervenção nos retábulos e altares, nomeadamente na Capela e Altar da Nossa Senhora da Conceição e Altar de S. Brás. Todos estes espaços apresentam deficiências ao nível da salubridade, desgaste dos materiais, instabilidade estrutural e, no geral, encontram-se em muito mau estado de conservação ao nível da madeira, arte azulejar e pintura mural. Uma vez que a Igreja está classificada como Monumento Nacional, estas obras de conservação e restauro pretendem respeitar não só os materiais como também a integridade de cada uma das peças a intervencionar. O custo estimado destes trabalhos é de cerca de 70 mil euros. A intervenção no pórtico de entrada da Igreja está em fase de concurso, enquanto que a intervenção na cobertura e fachadas está ainda em fase de projeto.
Localizada no Largo do Batalhão dos Sapadores dos Caminhos de Ferro na zona mais a sul do casco histórico de Loulé, junto à porta de Faro da muralha medieval, a Igreja Matriz de Loulé ou a Igreja de S. Clemente, deriva o nome da conquista da cidade aos muçulmanos, ocorrida a 23 de novembro, dia devotado a este santo mártir. Construída possivelmente no local ocupado pela mesquita muçulmana de Al’-Ulyà, a Igreja Matriz de S. Clemente remonta à segunda metade do século XIII, quando o Arcebispo de Braga incumbiu os frades dominicanos de construir vários templos cristãos no Algarve. De estilo gótico meridional, mantém a traça original, tendo-lhe sido acrescentadas capelas laterais no século XVI, de estilo manuelino.
Desde a sua construção que sofreu várias alterações ao longo da sua vida, sendo uma das últimas após o sismo de 1969 que obrigou a uma intervenção séria da Direção Geral de Edifícios e Monumentos Nacionais, valorizando alguns elementos medievais adulterados na reconstrução oitocentista. Para os responsáveis municipais, esta intervenção reveste-se de especial importância, não só por tratar-se de um edifício com o estatuto de Monumento Nacional, mas também porque a Igreja Matriz de Loulé assume um papel central no contexto do Centro Histórico da cidade, sendo um testemunho vivo da história e da memória de Loulé que importa preservar e valorizar.



Daniel Oliveira (órgão) e Alexêi Tolpygo (violino barroco) são os convidados do Festival de Órgão do Algarve para o segundo concerto na Igreja do Carmo em Faro, no dia 18 de novembro.
Daniel Oliveira é licenciado em Ciências Musicais pela Universidade Nova de Lisboa e em Órgão pela Escola Superior de Música de Lisboa. Frequenta atualmente o curso superior de cravo, na Escola Superior de Música de Lisboa e estudou com diversas personalidades internacionais. Tem atuado com a Orquestra Metropolitana de Lisboa, a Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras, a Orquestra Sinfónica Juvenil, em Portugal, Espanha e França. É organista titular da Igreja Matriz de Oeiras e da Igreja da Misericórdia em Torres Vedras.
Alexêi Tolpygo nasceu em Moscovo, onde obteve o Diploma de Licenciatura. Integrou a Orquestra Filarmónica de Moscovo e a Orquestra Nacional Russa e colaborou com a Soviet Festival Orquestra e a State Chamber Orquestra, tendo atuado em mais de trinta países. Integra o Moscow Piano Quartet, com o qual tem efetuado diversos concertos no país e no estrangeiro. Colaborou com a Orquestra Nacional do Porto e em diversos projetos da OrchestrUtopica. É violinista na Orquestra Metropolitana de Lisboa.
J. S. Bach, Antonio Vivaldi, G. P. Telemann, W.A. Mozart e G. F. Haendel são alguns dos compositores selecionados pelos músicos para este concerto de música de câmara com órgão e violino barroco. Na semana seguinte, o concerto de encerramento do Festival tem lugar a 25 de novembro, na Igreja da Sé, com a organista brasileira Elisa Freixo. Todos os concertos realizam-se às 21h30 e são de entrada livre.

Realiza-se, no dia 21 de novembro, pelas 15h, no auditório do Centro Autárquico de Quarteira, uma sessão de esclarecimento e divulgação sobre os apoios financeiros comunitários para projetos de investimento que decorram no território do Grupo de Ação Local (GAL) de Pesca do Sotavento Algarvio. Durante esta sessão será apresentado o Regime de Apoio à Execução das Estratégias de Desenvolvimento Local de Base Comunitária do Programa Operacional Mar 2020 e o Sistema de Incentivos ao Empreendedorismo e ao Emprego.
O território de intervenção deste GAL engloba as zonas costeiras e ribeirinhas dos concelhos do Sotavento do Algarve e tem como objetivos estratégicos promover e valorizar a competitividade das atividades do Cluster Mar do Sotavento; promover a empregabilidade da população do território de intervenção; promover a sustentabilidade e valorização do património natural e cultural da Ria Formosa e do Estuário do Guadiana; e dinamizar a cooperação e animação do território. Tendo como parceiro gestor o município de Olhão, este GAL é constituído ainda pelos municípios de Loulé, Faro, Tavira, Vila Real de Santo António, Castro Marim e Alcoutim e muitas outras entidades da região ligadas ao setor das pescas.
A dotação orçamental afeta ao GAL Pesca do Sotavento, com vista à execução da Estratégia de Desenvolvimento Local de Base Comunitária Costeira para o período 2014 a 2020, é de três milhões, 306 mil e 42 euros. Tendo em conta esta estratégia e as características do território de intervenção no que respeita a dinâmicas de desenvolvimento económico e de empreendedorismo, espera-se atingir resultados nos seguintes domínios: criação de novas empresas, criação de emprego, desenvolvimento e diversificação de atividades de empresas existentes e aumento das aplicações económico - produtivas associadas aos resultados de projetos de investigação.



A aldeia mais típica do concelho de Albufeira prepara-se a rigor para o evento mais esperado do ano, o «Paderne Medieval», que de 29 de dezembro a 1 de janeiro de 2018 transforma a pequena localidade do barrocal algarvio numa verdadeira montra da história e etnografia do séc. XIV. A viagem ao passado é feita através da recriação do mercado medieval, que se estende ao longo das ruelas estreitas da freguesia, invadidas durante quatro dias por cheiros e sabores provenientes das iguarias gastronómicas, da representação de artes e ofícios e de várias atuações alusivas à época. O ponto alto do evento está marcado para o primeiro dia de 2018, com um cortejo histórico que retrata a cerimónia da entrega da Carta de Doação do Castelo de Paderne, por D. Dinis, à Ordem de Avis.
Podem participar como expositores, entidades públicas e privadas da freguesia de Paderne (prioritariamente) e do restante concelho de Albufeira. A organização prevê ainda a possibilidade de aceitar inscrições de expositores de fora do concelho, no caso de não serem ocupados todos os espaços disponíveis. As inscrições já estão a decorrer na Junta de Freguesia de Paderne, para os residentes locais, e na Divisão de Turismo e Desenvolvimento Económico e Cultural, no 3.º andar do edifício dos Paços do Concelho, para as restantes pessoas. A inscrição deverá ser efetuada em ficha própria, que será acompanhada de fotografias dos produtos ou serviços a comercial no evento.
O «Paderne Medieval» é uma iniciativa realizada pelo Município de Albufeira, em parceria com Junta de Freguesia de Paderne e a Casa do Povo da localidade. Para mais informações, os interessados podem contactar a Divisão de Turismo e Desenvolvimento Económico e Cultural através do email: carla.ponte@cm-albufeira.pt ou telefone: 289 599 579.

O Município de Portimão volta a aderir, pelo terceiro ano consecutivo, à iniciativa «Família do Lado» e a desafiar as famílias portimonenses e imigrantes para que, no dia 26 de novembro, abram as portas das suas casas a outras famílias para um almoço convívio típico da sua cultura de origem, como forma de acolher o «outro». Esta iniciativa transnacional dinamizada pelo Alto Comissariado para as Migrações centra-se na hospitalidade entre famílias e assume-se como um ato de acolhimento genuíno por parte de quem deseja receber em sua casa e de quem ambiciona ser acolhido, dando início a relações sociais geradoras de pontes entre culturas.
O desafio passa por uma família aceitar acolher em sua casa uma família que não conheça, constituindo-se pares de famílias (uma imigrante ou refugiada e outra autóctone) para um almoço- convívio típico da cultura da Família Anfitriã. Os encontros decorrem, obrigatoriamente, no mesmo dia (26 de novembro) e à mesma hora (13h), em todo o território nacional, Espanha e República Checa. Estão abertas as inscrições para as famílias imigrantes e famílias autóctones que queiram participar e contribuir para o processo de integração dos imigrantes residentes, neste caso, em Portimão.
Os interessados poderão inscrever-se até dia 22 de novembro, na qualidade de Família Anfitriã ou de Família Visitante, sendo que, para tal, deverão contactar a Divisão de Habitação e Desenvolvimento Social e Saúde da Câmara Municipal de Portimão, através do email claim.portimao@cm-portimao.pt ou do telefone 282 470818. Estão ainda abertas inscrições para Assistente - «voluntário/padrinho», um elemento crucial no acompanhamento de cada par de famílias, que irá prestar apoio antes e durante o almoço do qual também farão parte.

As iniciativas European Vocational Skills Week, Semana de Ciência e Tecnologia, da Robótica e da Aprendizagem ao Longo da Vida coincidem, este ano, entre 20 e 26 de novembro. No Algarve, um grupo alargado de parceiros decidiu realizar uma abordagem conjunta a todos estes temas e acrescentar-lhes energia e entusiasmo com um calendário comum de iniciativas, na senda dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Nações Unidas. Esta parceria público-privada junta o Centro Europe Direct, localizado na Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Algarve (CCDR-Algarve), os Centros de Ciência Viva Algarve (Faro), Lagos e Tavira, a Universidade do Algarve, a Agência Portuguesa de Ambiente, através da Administração Regional Hidrográfica do Algarve, o Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) e a rede EURES, a Direção Regional de Agricultura e Pescas do Algarve, a Direção de Serviços da Região do Algarve da Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares, a rede MOVE e a Altice e organiza cerca de 20 eventos ao longo de toda a semana com outros tantos parceiros locais: divulgação científica, competências linguísticas, competências digitais, ações de capacitação diversas, soft skills, hard skills, entre outros.
A primeira European Vocational Skills Week realizou-se em 2016, com eventos em Bruxelas e centenas de atividades nos Estados Membros, EFTA e países candidatos da EU, organizados a nível nacional, regional e local. Segundo a Comissão Europeia, “na sociedade de hoje é imperativo que todas as pessoas disponham de um vasto conjunto de aptidões, conhecimentos e competências, incluindo níveis suficientes de literacia, numeracia e competências digitais que lhes permitam realizar todas as suas potencialidades, desempenhar um papel ativo na sociedade e assumir as suas responsabilidades sociais e cívicas”.
Em simultâneo, a Rede de Serviços Públicos de Emprego Europeus, da qual o IEFP faz parte, assinala, entre os dias 13 e 24 de novembro, a segunda edição dos Dias Europeus do Empregador, com atividades a decorrer ao nível europeu e nacional. O IEFP associa-se, novamente, a esta importante iniciativa que visa construir e reforçar parcerias com os empregadores nacionais, e divulgar a oferta do Serviço Público de Emprego. Ao longo de duas semanas, por todo o país, atividades de índole diversa, dinamizadas pelos Serviços de Emprego e Formação Profissional do IEFP, marcam esta iniciativa e, permitem às entidades empregadoras conhecer melhor a oferta de serviços e instalações. O objetivo é debater matérias relacionadas com o mercado de trabalho, testemunhar o sucesso dos ex-formandos, conhecer boas práticas na área da reabilitação, participar em workshops temáticos, Seminários e Conferências, visando a troca de ideias sobre as atuais dinâmicas da empregabilidade.
A Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT), celebrada desde 2004, convida instituições científicas, universidades, escolas e museus a abrir portas, proporcionando ao público oportunidades de observação científica e de contacto pessoal com especialistas de diferentes áreas do conhecimento, enaltecendo o papel da ciência, motivando para a investigação científica, reforçando a necessidade do espírito crítico e atitude inovadora. A Semana Europeia da Robótica põe a ênfase na sua importância para as regiões europeias e estão preparados mais de mil eventos por toda a Europa para ligar o púbico, as empresas e os investigadores. A European Robotics Week 2017, de 17 a 27 novembro inclui open days por empresas e laboratórios de investigação, visitas a escolas, palestras dadas por peritos e competições de robots.
A Semana da Aprendizagem ao Longo da Vida, que este ano vai coincidir pela primeira vez com a Semana Europeia de Lifelong Learning - LLLWeek2017, visa contribuir para o debate e partilha de conhecimento afetos a políticas e práticas de aprendizagem ao longo da vida (ALV) em Portugal, objetivos que se encontram também com os da Semana Europeia das Vocational Skills. Esta semana é dinamizada pela associação «O Direito de Aprender», em parceria com a Agência Nacional para a Qualificação e o Ensino Profissional (ANQEP) 

O Observatório das Autarquias Familiarmente Responsáveis revelou que Alcoutim é, mais uma vez, considerada uma das 61 Autarquias Mais Familiarmente Responsável. Este reconhecimento resulta de um inquérito realizado a nível nacional em que foram analisadas as políticas de família dos municípios em 10 áreas de atuação: apoio à maternidade e paternidade; apoio às famílias com necessidades especiais; serviços básicos; educação e formação; habitação e urbanismo; transportes; saúde; cultura, desporto, lazer e tempo livre; cooperação, relações institucionais e participação social; e outras iniciativas. São ainda analisadas as boas práticas das autarquias para com os seus funcionários autárquicos em matéria de conciliação entre trabalho e família.
Esta distinção representa o reconhecimento público de todo o trabalho que tem sido desenvolvido pelo Município de Alcoutim no sentido de responder às dificuldades atuais das famílias nas diversas áreas de atuação. “O prémio vem realçar as melhores práticas no que diz respeito às políticas de apoio à família e é, sem dúvida, um título que muito nos honra e nos estimula na continuação da intervenção social e familiar”, afirma o Presidente do Município, Osvaldo dos Santos Gonçalves.
A cada município vencedor irá ser entregue a bandeira verde da iniciativa «Autarquia + Familiarmente Responsável», numa cerimónia a ter lugar no dia 29 de novembro, pelas 17h, no Auditório da Fundação CEFA em Coimbra. Os dados recolhidos através dos inquéritos encontram-se disponíveis no site do Observatório, em www.observatorioafr.org, permitindo a todos os interessados ficar a conhecer o trabalho desenvolvido pelos municípios vencedores, bem como dos restantes participantes. 

A Marcha/Corrida de São Brás de Alportel realiza-se no dia 19 de novembro, tendo como ponto de encontro o Polidesportivo Municipal, pelas 9h45. Depois, o percurso parte à descoberta dos aromas campestres que invadem os bons ares de São Brás de Alportel, num Outono soalheiro e que anseia pela chegada das primeiras chuvas.
Esta edição da Marcha/Corrida em São Brás de Alportel apresenta dois trajetos distintos: um de cinco quilómetros e outro de 12 quilómetros de dificuldade média, desafiando centenas de participantes, de toda a região do Algarve, a descobrir a riqueza patrimonial, cultural e natural do território são-brasense. Os circuitos definidos pela organização conduzem os participantes, passo a passo, por percursos mistos onde as zonas rurais contracenam com as zonas urbanos, ao encontro de elementos do património rural que salpicam a paisagem, antigos moinhos de ventos, ar puro perfumado, num percurso pelo barrocal são-brasense.
A Marcha Corrida é uma iniciativa do Instituto Português do Desporto e da Juventude, organizada a nível local pela Câmara Municipal de São Brás de Alportel com o intuito de promover a prática desportiva para todas as idades, bem como mostrar a diversidade de paisagens e potencialidades existentes no concelho. 


A Embaixada da Índia, com o apoio da Câmara Municipal de Portimão, dinamiza, no dia 20 de novembro, um seminário sobre as oportunidades de negócios e investimentos na Índia, uma das economias que mais cresce no mundo, e que se vem afirmando como um dos destinos mais atrativos para negócios e investimentos. O evento destina-se a empresários, instituições e profissionais com interesse em negócios na Índia e terá lugar no Salão Nobre dos Paços do Concelho, entre as 9h30 e as 15h30, contando com a participação da Embaixadora da Índia, K. Nandini Singla e da Presidente da Câmara Municipal de Portimão, Isilda Gomes.
Representantes do Estado Indiano de Madhya Pradesh e da Confederação da Indústria Indiana (CII) farão apresentações sobre oportunidades para os empresários portugueses e especialistas profissionais em questões legais e tributárias responderão a perguntas e consultas específicas. Após o almoço haverá também lugar para reuniões «One-to-One».

Tem lugar, na Ermida de Nossa Senhora de Guadalupe, no dia 25 de novembro, o evento «Fado, Cante e Alma Algarvia», uma palestra e recital realizados no âmbito de Jangada de Pedra – Ciclo de música ibero-americana e da elevação do Fado a Património Imaterial pela UNESCO. Um Cocktail Mediterrânico com uma pequena degustação dos sabores mediterrânicos, apoiado pela Quinta do Barranco Longo, antecede a palestra multimédia por Daniela Tomaz e o recital do Duo Lundú «Raízes e Derivações do Fado Primitivo em Portugal e no Brasil», que começa pelas 16h30.
Estes momentos abordam as canções de câmara que no século XIX se tornaram populares nos salões particulares. Modinhas e Lundús evoluem nas constantes viagens entre Portugal e Brasil, resultando numa sonoridade e fusão de estilos que se considera estar na origem do Fado. O recital permitirá ao público conhecer uma parte importante do espólio da música erudita do século XIX, através de Modinhas, Lundús e Fado e dos compositores emblemáticos do século XX, interpretados pelo Duo Lundú na voz da mezzo soprano Joana Godinho e ao som da guitarra romântica de José Farinha, acompanhados na flauta e percussão pela convidada Daniela Tomaz.
A iniciativa é uma organização da Academia de Música de Lagos e integra o ciclo «Música no DiVaM», do programa da Direção Regional de Cultura do Algarve «Dinamização e Valorização dos Monumentos  2017 – Lugares de Globalização», pretendendo homenagear os três géneros culturais portugueses elevados a património imaterial da humanidade: o fado, o cante e a dieta mediterrânica.
Cláudia Vieira vai ser a anfitriã da grande abertura do novo Designer Outlet Algarve, em Loulé. No dia 23 de novembro, a partir das 17h, a atriz, apresentadora e manequim dará um brilho ainda mais especial à inauguração do maior e mais premium Designer Outlet do Algarve. “Ter a Cláudia Vieira associada ao Designer Outlet Algarve num dia tão importante e especial é um motivo de orgulho, porque temos connosco a personificação perfeita do espírito de sofisticação e classe do nosso espaço. Além disso, a Cláudia reconhece a importância deste projeto enquanto dinamizador da região durante todo o ano e esse reconhecimento é muito importante para nós”, refere Miguel Guerreiro, Diretor-Geral do Designer Outlet Algarve.
A Cláudia Vieira vão juntar-se na passadeira vermelha outros rostos conhecidos como Jessica Athayde, Sara Salgado, Joana Duarte, Andreia Diniz, Andreia Rodrigues, Vanessa Martins, Diogo Amaral e Diogo Dias, numa festa onde não vão faltar animações de rua e surpresas para todas as pessoas que visitem o Designer Outlet Algarve neste dia. Os visitantes vão encontrar mais de 50 marcas de moda e lifestyle com descontos a partir de 30 até 70 por cento, durante todo o ano, apresentadas num espaço que apresenta uma arquitetura inspirada numa típica vila algarvia.
Durante a cerimónia de abertura, todos os visitantes poderão participar num passatempo para ganhar uma semana em Nova Iorque para duas pessoas, um fim de semana na Disney Paris, ou ainda duas noites no prestigiado Hotel Conrad Algarve. As participações nestes passatempos poderão ser efetuadas através do site www.designeroutletalgarve.com ou na página do Facebook do Designer Outlet Algarve, de 23 de novembro até 6 de janeiro de 2018. Em combinação com a loja IKEA Loulé e o MAR Shopping Algarve, o Designer Outlet Algarve, gerido pela operadora Austríaca ROS Retail Outlet Shopping, vem completar a realização do maior complexo comercial da região Sul, cujos investidores são a IKEA Centres e a Mutschler Outlet Holding.   
A «Águas do Algarve S.A.» foi mais uma vez distinguida com a atribuição do «Selo de qualidade exemplar da água para consumo humano» relativo à qualidade da água fornecida no ano de 2016. Esta distinção foi atribuída a entidades gestoras que prestam serviços de abastecimento público de água pela Entidade Reguladora de Serviços de Aguas e Resíduos (ERSAR).
Os requisitos necessários para a atribuição desta distinção são, entre outros, o cumprimento total da submissão atempada dos dados relacionados com o Plano de Controlo da Qualidade da Água (PCQA), cumprimento total do número de análises agendadas no PCQA aprovado e 99 por cento do cumprimento dos valores paramétricos, incluindo o cumprimento dos valores paramétricos para os parâmetros Bactérias coliformes e Eschericia coli, bem como todos os valores paramétricos de cheiro e sabor.
Ao receber mais uma vez esta distinção, a «Águas do Algarve, S.A.» sustenta a elevada exigência de prestar um serviço de abastecimento público de água de excelência, que demonstra o cuidado com que planeia, submete e executa também as tarefas relacionadas com a demonstração da qualidade da água fornecida aos municípios do Algarve. A prossecução da qualidade exemplar da água para consumo humano na «Águas do Algarve, S.A.» é o resultado de todo o trabalho desenvolvido nas diversas áreas da empresa concessionária desde a gestão das origens de água disponíveis, o tratamento da água nas estações de tratamento de água e a adução através do Sistema Multimunicipal de Abastecimento de Água do Algarve, com o fornecimento contínuo de água para consumo humano a mais de 70 pontos de entrega municipais, suportado por uma manutenção e gestão de ativos sustentada e uma monitorização e análise laboratorial exigentes da qualidade da água em todos os pontos do sistema.
A qualidade exemplar da água para consumo humano na «Águas do Algarve, S.A.» é possível pela existência de práticas que assentam na gestão do risco e na garantia de que todas as ações são efetuadas tendo como objetivo o fornecimento contínuo de água segura para consumo humano. A atribuição de mais um «Selo de qualidade exemplar da água para consumo humano» comprova que o Plano de Segurança da Água da empresa se mantém, ao fim de uma década, com a vitalidade necessária para os próximos desafios.

A Orquestra Clássica do Sul apresenta-se no Cineteatro São Brás, no dia 18 de novembro, a partir das 21h30, para o concerto do «Ciclo de Laureados», dedicado a Mozart e Beethoven, dois dos maiores nomes da música clássica. O público será convidado a apreciar um momento especial de música clássica a cargo dos 26 elementos da Orquestra Clássica do Sul, dirigidos pelo Maestro Associado José Colomé, e com a participação especial do jovem solista João Miguel Silva, vencedor do Prémio Jovens Músicos 2015. Durante aproximadamente 60 minutos serão interpretados a Abertura de «O Empresário» e Concerto para Oboé em Dó maior de Mozart e Sinfonia n.º 1 de Beethoven.
O «Ciclo de Laureados» é uma iniciativa da Orquestra Clássica do Sul que visa dar aos novos talentos da música e vencedores de concursos nacionais e internacionais a oportunidade de partilhar o palco com uma orquestra profissional. Fundada em 2002 como Orquestra do Algarve, e contando desde sempre com a parceria do Município de São Brás de Alportel, a estrutura passou a designar-se como Orquestra Clássica do Sul, em 2013, com o objetivo de levar a sua missão às regiões do Algarve, do Alentejo e da Península de Setúbal em Portugal e da Andaluzia, em Espanha, oferecendo uma programação diversificada e de elevada qualidade artística. 


A Câmara Municipal de Silves vai assinalar, a 30 de novembro, o Dia Mundial de Luta Contra a Sida através do desenvolvimento de diversas iniciativas que envolverão toda a comunidade e as escolas do concelho. O programa inicia-se às 10h, na Escola Secundária de Silves, com a realização de uma dinâmica de Teatro-Fórum sobre o Vírus VIH-Sida e outras IST´S, pela Turma de Artes do Espetáculo – Interpretação, da E.B.S da Bemposta.
Segue-se uma ação de sensibilização dirigida à comunidade escolar sobre o impacto da problemática do Vírus VIH-SIDA e outras Infeções Sexualmente Transmissíveis – IST´S nos jovens, dinamizada pela Equipa Técnica Especializada de Redução de Danos da Divisão de Intervenção nos Comportamentos Aditivos e nas Dependências – DICAD da ARS Algarve, e pela Equipa de Saúde Escolar do Centro de Saúde de Silves. A encerrar a manhã será realizado um debate aberto, com esclarecimento de dúvidas, a cargo dos intervenientes e distribuído material informativo/preventivo, cedido pelo Centro de Aconselhamento e Deteção Precoce do VIH/SIDA – CAD de Faro.
Durante a tarde, entre as 14h e as 16h, decorrerão rastreios gratuitos do vírus HIV-SIDA, pela Equipa Técnica Especializada de Redução de Danos da Divisão de Intervenção nos Comportamentos Aditivos e nas Dependências – DICAD da ARS Algarve. Dirigidos a maiores de 18 anos, os rastreios são abertos a toda a comunidade. A tarde contemplará ainda um serviço de esclarecimento sobre Vírus VIH-SIDA e a distribuição de material divulgativo/preventivo.

A Câmara Municipal de Vila Real de Santo António deu início, no dia 15 de novembro, à demolição dos antigos apoios e restaurantes da Praia de Monte Gordo. A operação marca o arranque da II fase de requalificação da praia de Monte Gordo e integra a construção de 18 novos apoios de praia, cujas estruturas serão constituídas por materiais uniformizados que ficarão ao mesmo nível do passadiço inaugurado em julho.
As demolições serão suportadas pelo município e estarão concluídas até ao final de dezembro. Já a construção dos novos apoios terá início em janeiro de 2018, devendo prolongar-se por um prazo de cinco meses. A intervenção global (passadiço, acessos e restaurantes) está avaliada em 10 milhões de euros e permitirá a conclusão de todas as estruturas e equipamentos associados. “O objetivo é termos a praia 100 por cento funcional no próximo mês de maio, pronta para a próxima época balnear. Esta é a maior operação de requalificação urbanística e ambiental jamais levada a cabo no nosso concelho”, afirmou Conceição Cabrita, presidente da Câmara Municipal de Vila Real de Santo António.


O projeto de requalificação, aprovado pela Agência Portuguesa do Ambiente (APA), contempla a construção de 18 novos concessionários - que irão substituir os atuais - sendo futuramente acessíveis quer através do corredor central, quer da marginal. “Recorde-se que o Plano de Ordenamento da Orla Costeira (POOC), inicialmente aprovado, apenas previa a construção de oito apoios de praia mas, através da sua revisão e do conjunto de reuniões desenvolvidas entre a Câmara Municipal e a APA, foi possível a instalação de 18 unidades”, nota Conceição Cabrita. Desta forma, todos os empresários que detinham atividade na praia e possuíam a sua situação regularizada não necessitaram de submeter-se a concurso, pondo-se fim ao sistema de licenças precárias que vigorava até ao momento.
O passadiço da praia de Monte Gordo é, atualmente, o maior do género no Sotavento algarvio. Com uma extensão de três quilómetros, representa um investimento de um milhão de euros. A requalificação da praia de Monte Gordo é uma imposição do Plano de Ordenamento da Orla Costeira (POOC) Vilamoura – Vila Real de Santo António, que prevê a criação de acessos e estruturas de apoio que não colidam com o cordão dunar e permitam a sua reconstrução. 
O Instituto Português do Desporto e Juventude promoveu, no dia 14 de novembro, no Salão Nobre da Câmara Municipal de São Brás de Alportel, uma sessão de apresentação da segunda edição do programa «Empreende Já – Rede de Perceção e Gestão de Negócios (EJÁ)», que visa apoiar jovens dos 18 aos 29 anos a criar o seu projeto e emprego. A sessão foi dinamizada pela delegação de Faro do Instituto com a colaboração do Gabinete do Empreendedor da Câmara Municipal.
O programa tem como objetivos promover uma cultura empreendedora centrada na criatividade e na inovação, através do apoio ao desenvolvimento de projetos que visem a constituição de empresas ou de entidades da economia social, apoiar a capacitação de jovens através da formação e do aumento dos seus níveis de empregabilidade e a criação de postos de trabalho por e para os jovens que integrem este programa. A primeira fase do programa tem a duração de seis meses, decorre entre março e agosto de 2018, e é dedicada à criação e desenvolvimento das ideias/projetos. Durante este período, os jovens participantes vão ter 250 horas de formação, 30 horas de tutoria, uma bolsa mensal de 695 euros e seguro de acidentes pessoais. A segunda fase arranca após a conclusão da primeira fase e consiste num período de dois anos em que os jovens envolvidos nos projetos selecionados contarão com um apoio de 10 mil euros para concretizarem o seu projeto.
Podem concorrer a este programa jovens dos 18 aos 29 anos, que tenham completado a escolaridade obrigatória, que não estejam a trabalhar, nem a estudar ou em formação. Os candidatos devem ainda comprovar que têm a sua situação contributiva e tributária regularizada, estar inscritos nos serviços de emprego e não podem estar a beneficiar de apoios concedidos ao abrigo de outras medidas no âmbito da Garantia para a Juventude. O período de candidaturas está em vigor até 30 de novembro.
A iniciativa contou com a presença do delegado regional do Instituto Português do Desporto e Juventude, Custódio Moreno, do diretor adjunto do Centro de Emprego e Formação Profissional de Faro, António Palma, do Presidente da Câmara Municipal de São Brás de Alportel, Vítor Guerreiro, e da Vice-Presidente da Câmara Municipal de São Brás de Alportel, Marlene Guerreiro.


A ERSAR – Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos atribuiu à empresa municipal FAGAR, EM, no dia 8 de novembro, e pela primeira vez, o Selo de Qualidade Exemplar da água para consumo humano. O prémio distingue as entidades que durante o ano transato cumpriram exemplarmente os requisitos legalmente exigidos para o controlo de qualidade da água, tendo a FAGAR, EM obtido 100 por cento de cumprimento dos valores recolhidos, mediante análises efetuadas à qualidade da água, cujos resultados são verificados por laboratório independente.
Para o Presidente do Conselho de Administração da empresa, Paulo Gouveia da Costa, esta distinção é “por um lado, o reconhecimento da competência técnica dos trabalhadores da empresa, mas também, por outro lado, o resultado de um planeamento correto e rigoroso, traçado nos últimos quatro anos, e que começou gradualmente a traduzir-se em resultados positivos”. Já o Presidente da Câmara Municipal de Faro, Rogério Bacalhau, reconhece que esta distinção prestigia muito o concelho de Faro, “mas é, sobretudo, uma garantia para a população farense da qualidade da nossa água”. “Este prémio confere agora maior responsabilidade à FAGAR, EM, no sentido de procurar manter os níveis de qualidade de água que tem vindo a alcançar e que tanta confiança nos dão”, acrescentou o edil farense.

Na sexta-feira, 17 de novembro, na Igreja da Misericórdia em Tavira, André Ferreira apresenta-se para o primeiro concerto de órgão na cidade integrado no Festival de Órgão do Algarve.
André Ferreira é licenciado em Órgão pelo Conservatório de Amesterdão, onde estudou com Jacques van Oortmerssen, tendo igualmente a oportunidade de trabalhar com Pieter van Dijk. Concluiu o Mestrado em Órgão da Escola Superior de Música de Lisboa (ESML), sob a orientação de João Vaz. Iniciou os seus estudos de órgão com António Esteireiro no Instituto Gregoriano de Lisboa, continuando posteriormente com Jos van der Kooy no Conservatório de Haia. Frequenta a licenciatura em Oboé Barroco, com Pedro Castro, na ESML.
Como solista ou integrado em diversos agrupamentos musicais já efetuou recitais em Portugal, Espanha, Itália e Holanda. Colabora como organista com a Paróquia de S. Tomás de Aquino e com a Paróquia de Santa Maria de Belém, Mosteiro dos Jerónimos. É professor de Órgão na Escola Diocesana de Música Sacra do Patriarcado de Lisboa.
Para este concerto de Tavira, André Ferreira escolheu um programa contrastante que versará «O sacro e o profano no barroco italiano». O concerto seguinte em Tavira tem lugar a 24 de novembro, na Igreja de Santiago, com a organista brasileira Elisa Freixo. Todos os concertos realizam-se às 21h30 e são de entrada livre.

A X Feira da Perdiz voltou a convencer visitantes, confirmando-se como um evento de referência do setor que atrai todos os anos milhares de visitantes a Alcoutim. O certame é promovido pela Câmara Municipal de Alcoutim e pela Associação ADECMAR, com o apoio da Federação de Caçadores do Algarve, Junta de Freguesia de Martim Longo, Zona de Caça Turística de Pereiro - Hunting, Associação «A Moira», Associação Inter-Vivos, Viveiros Monterosa, Direção Regional de Agricultura e Pescas do Algarve e Município de Tavira.
A 10.ª edição decorreu nos dias 11 e 12 de novembro e, para além do modelo tradicional de feira, onde estiveram presentes empresas do sector e empresas e instituições do concelho com produtos tradicionais, comporta sempre uma série de atividades paralelas que prendem visitantes e expositores. Foi disso exemplo, este ano, um passeio de BTT, uma Marcha Corrida, o Showcooking «Choose our Food» pelo Mestre Chefe de Pastelaria Vítor Ramos e Rui Conqueiro – que promoveram o Figo da Índia e confecionaram «Sabores e Aromas de Figo da Índia e suas texturas», as Jornadas Técnicas Opuntia Ficus-indica, um workshop e concurso canino e uma corrida de Galgos.


“A caça constitui um atrativo para muitos milhares de visitantes, amantes da modalidade, de todas as regiões do país, que anualmente nos procuraram nesta época do ano, conferindo um forte incremento à economia local”, sublinhou Osvaldo dos Santos Gonçalves, presidente da autarquia, no discurso de abertura do evento. Presentes estiveram também o Secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural, Miguel Freitas, o Diretor Regional de Agricultura e Pesca do Algarve, Fernando Severino, o Presidente da Região de Turismo do Algarve, Desidério Silva, o Diretor Regional do Instituto Português do Desporto e da Juventude, Custódio Moreno, e o deputado socialista à Assembleia da República, António Eusébio, entre outras entidades locais e regionais.

No âmbito do seu plano de produções musicais para 2017, a Ideias do Levante – Associação Cultural de Lagoa vai levar a cena, em parceria com o Município de Lagoa, no Auditório do Convento S. José, no dia 17 de dezembro, pelas 15h30, a peça de teatro infantil «O Reinos dos Grandes Animais». Baseada num texto de Esopo, numa adaptação e encenação de Andreia Branco, conta com a interpretação dos pequenos grandes atores do grupo de Teatro Infantil da Ideias do Levante, fruto do trabalho realizado durante o primeiro período letivo.
A peça narra a história de um ratinho muito, muito pequeno e muito, muito destemido que vive no reino dos grandes, grandes animais. Neste reino a comida escasseia e o ratinho parte numa aventura solitária em busca de alimento para aconchegar a barriguinha no grande inverno gelado. Ao longo da trama, vai-se cruzando com outros animais, todos eles de grande porte, majestosos e colossais, que o vão ajudando a crescer e a quem a nossa pequena personagem vai ensinar uma grande lição.
O espetáculo é recomendado para todas as idades e decorrerá numa sala com uma lotação máxima de 86 lugares. Os «bilhetes oferta» poderão ser levantados na bilheteira do Convento S. José – Lagoa a partir de 5 de dezembro.

Vai ser inaugurada, no dia 18 de novembro, pelas 15h, uma escultura de homenagem aos Bombeiros Voluntários de Portimão, que na mesma data assinalam o 91.º aniversário da fundação da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Portimão. A figura em bronze, da autoria dos artistas Paula Hespanha e Manuel Pedro Chaves Ferreira, foi concebida com o objetivo de proporcionar aos transeuntes múltiplas interpretações.
Com a deslocação do observador em seu redor, a pé ou de carro, várias imagens podem ser pertinentemente sugeridas, desde duas asas a duas chamas, uma árvore ou duas mãos que se entreajudam. O monumento apela à tranquilidade, à paz e à missão e valores dos bombeiros. As «asas» de uma fénix, símbolo associado à missão dos «soldados da paz», é, deste modo, ressaltado nesta escultura que pretende homenagear os Bombeiros Voluntários de Portimão, num monumento que vai ficar instalado na rotunda construída em frente ao Mercado de Portimão, projetada para o entroncamento entre a Av. Dr. Francisco Sá Carneiro e a Av. S. João de Deus, a poucas dezenas de metros do quartel da corporação.
Os Bombeiros Voluntários de Portimão têm, em média, cerca de 13 mil solicitações por ano, sendo que, em 2016, 4.799 dessas solicitações foram ocorrências de emergência de pré-hospitalar, 200 acidentes rodoviários e 79 incêndios urbanos. Os números demonstram bem a atividade e abrangência deste organismo ao nível não só da prevenção e combate a incêndios, mas igualmente ao nível da proteção civil.
De 17 a 19 de novembro, o Teatro Lethes, em Faro, recebe a Companhia de Dança Contemporânea de Angola. As portas abrem-se, no primeiro dia, às 16h para todos os que queiram assistir a um ensaio aberto da companhia, sendo que, às 19h, acontece o lançamento do livro de Ana Clara Guerra Marques, »Máscaras Cokwe: A linguagem coreográfica de Mwana Phwo e Cihongo«.
Nos dias 18 (21h30) e 19 (16h) sobe ao palco o espetáculo «(Des)construção», que recupera a tradição e, de forma atrevida e livre de preconceitos, a transforma sem lhe anular a alma, usando a resignificação como estratégia para a continuidade. Estabelecendo um diálogo entre o sobrenatural e o terreno descobrem-se, com a cumplicidade do público, novos e fascinantes universos capazes de nos seduzir.  
Fundada em 1991 pela bailarina e coreógrafa Ana Clara Guerra Marques, a Companhia de Dança Contemporânea de Angola edificou, através de um percurso de inovação e singularidade, uma história exclusiva que faz dela um coletivo histórico e único, num contexto artístico que permanece frágil, conservador e fortemente cunhado pelas danças patrimoniais e recreativas urbanas e pela ausência de um movimento de criação de autor, no plano da dança. Hoje, com 25 anos de existência e pouco acarinhada no seu país, a companhia procura a internacionalização como forma de validação do seu trabalho que, no exterior de Angola, é reconhecido, somando-se apresentações em 15 países e 30 cidades, em África, América, Europa e Ásia.

A Escola Superior de Educação e Comunicação da Universidade do Algarve organiza, em parceria com o CIAC, a sessão «Marcas e Redes Sociais: Colaboração, engajamento e Literacia dos Media», com a investigadora de doutoramento Letícia Torres. O evento decorrerá no anfiteatro 0.5 do Complexo Pedagógico do Campus da Penha, no dia 16 de novembro, pelas 14h30, no âmbito das unidades curriculares de «História dos Media e Literacia dos Media» do curso de Ciências da Comunicação. A entrada é livre.
Nesta sessão, Letícia Torres partirá da análise da comunicação mercadológica de cinco marcas de bebidas alcoólicas nas redes sociais para partilhar os eixos da sua investigação: processos de interação e engajamento; linguagem e estética publicitária; ideologia, ética e cidadania. Letícia Torres é professora da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) Brasil, onde é responsável pelas disciplinas de Publicidade e Propaganda e Comunicação e Marketing. Foi coordenadora do curso de Comunicação da UFJF entre 2010 e 2015.
Neste momento, a investigadora é doutoranda do programa de pós-graduação do CIAC/UAlg. Integra o grupo de pesquisa Redes, Ambientes Imersivos e Linguagens, no âmbito do qual participa em projetos de pesquisa, extensão e formação profissional na área de Literacia dos Media.

Juntando as datas do S. Martinho e do Dia Europeu do Enoturismo (11 e 12 respetivamente), a Comissão Vitivinícola do Algarve realizou, em parceria com a PlotBiz, um evento de degustação de vinhos e iguarias made in Algarve, no qual apresentou novos projetos para a promoção da Região Vitivinícola do Algarve.
Face a um crescendo cada vez mais acentuado de visitantes ao Algarve, torna-se necessário estar dotado de ferramentas que facilitem os agentes económicos e operadores turísticos a aceder e contactar os mais de 30 produtores algarvios a operar na região. O objetivo passa por conseguir, não só visitar as adegas e respetivas vinhas, mas também usufruir dos serviços associados (loja, restauração, etc.) que vão sendo uma aposta maior dos produtores, como forma de rentabilizar os seus negócios e respetivos espaços, já que boa parte tem excelentes condições para a receção de eventos, turistas ou grupos locais.


Neste sentido a CVA está a finalizar a edição e publicação de um mapa da região no qual estão identificados e se podem encontrar todos os produtores registados, incluindo os contactos e as coordenadas GPS de cada um e as valências disponíveis para os visitantes. Através de mecanismos simples como a introdução de QR Codes para cada ficha de produtor, o utilizador pode aceder a informação online relevante sem precisar conhecer e digitar o link respetivo.
Durante o evento de apresentação, para além da degustação de diversos vinhos do Algarve, o presidente da CVA Carlos Gracias surpreendeu a plateia ao informar que, para além da impressão do Mapa, “irá brevemente ser lançada uma App (aplicação móvel) que permitirá ao consumidor ter acesso a informação específica sobre a região e igualmente localizar o ponto de venda ou restaurante mais próximo, com Vinho do Algarve na prateleira ou na Carta”. Os diversos produtores presentes manifestaram interesse em colaborar na divulgação dos seus serviços e ficaram agradados com esta iniciativa da CVA, que possibilita aumentar a sua visibilidade, sobretudo para os que já têm uma vertente de enoturismo associada.
O Mapa da Região Vitivinícola do Algarve são desenvolvidos pela CVA em parceria com a Plotbiz, estando a equipa a ultimar os derradeiros detalhes para proceder à distribuição gratuita junto dos agentes económicos e do público em geral, dos cerca de 10 mil exemplares a serem produzidos até ao final do ano.

A hotelaria do Algarve continua a apresentar um ritmo de crescimento progressivo que consolida a sua posição de principal destino de férias nacional. Só no mês de setembro, a região registou perto de 2,3 milhões de dormidas (+2,2 por cento face ao mesmo mês do ano anterior) e 137,8 milhões de euros em proveitos totais (+10,2 por cento). Em termos acumulados, o número de dormidas nos primeiros nove meses do ano já ultrapassa os 16 milhões e os proveitos ascendem aos 898 milhões de euros, de acordo com dados divulgados, no dia 14 de novembro, pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).
Os indicadores da atividade turística comprovam o peso do Algarve no turismo nacional. De acordo com o INE, as dormidas concentram-se essencialmente no Algarve (peso de 36,5 por cento). Em setembro, o Algarve registou mais dormidas (+2,2 por cento), mais hóspedes (+4,2 por cento) e mais proveitos totais na hotelaria (+10,2 por cento), face a setembro de 2016. O RevPar (rendimento médio por quarto disponível) também tem registado uma tendência de crescimento: mais 11 por cento do que em setembro do ano passado (76,90 euros). “A atividade turística do Algarve continua a destacar-se no panorama nacional. Se olharmos para trás, verificamos um crescimento gradual dos principais indicadores da atividade turística, prova de um crescimento sustentável do turismo no Algarve e de um esbatimento progressivo da sazonalidade do destino”, explica o presidente da Região de Turismo do Algarve, Desidério Silva.


Os mercados externos continuam a ser a principal fonte de dormidas para o Algarve, ao serem responsáveis, em setembro, por 1,8 milhões de dormidas, um aumento de 2,5 por cento face a setembro de 2016. O mercado interno contribuiu com 484,5 mil dormidas, apresentando um crescimento homólogo ligeiro (+1,2 por cento). Os possíveis efeitos do Brexit não se têm feito sentir, com as dormidas de hóspedes britânicos a registarem um aumento de 2,8 por cento a nível nacional desde o início do ano. Ainda segundo o INE, em setembro, o mercado alemão retomou a posição de segundo mais relevante, aumentando 4,2 por cento. No período de janeiro a setembro este mercado cresceu 7,7 por cento.