Famosa pelos seus cursos ligados ao turismo e às ciências do mar, a Universidade do Algarve possui, no seu campus das Gambelas, uma estrutura menos conhecida da opinião pública, mas que tem conquistado diversos prémios internacionais nos últimos anos. Falamos do Centro de Investigação em Biomedicina, onde se estuda, desde a prevenção do cancro da mama e a diabetes, à Medicina Regenerativa e à Biomedicina e Tecnologia Molecular.

Texto: Daniel Pina | Fotografia: Isa Mestre

É no polo das Gambelas da Universidade do Algarve que se localiza o Centro de Investigação em Biomedicina, criado em 2015 e dedicado à investigação e ao tratamento da doença. Composto por investigadores de diversas áreas, o CBMR é o seguimento do antigo Centro de Biologia Molecular e Estrutural, uma mudança ocorrida aquando da última avaliação dos centros de investigação pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia por se tratar de um laboratório associado a outras universidade do resto do país. “Houve necessidade das instituições se separarem e assim nasceu o novo centro”, explica Ana Teresa Maia, vice-diretora do CBMR. “Temos os nossos grupos organizados em quatro grandes áreas temáticas – Mecanismos de Doença Molecular e Celular; Biomedicina Molecular; Medicina Regenerativa; e Medicina Tranlacional – e o objetivo final é o tratamento ou, pelo menos, a compreensão de um mecanismo de doença. Nesse sentido, estamos igualmente integrados no Centro Académico e Clínico do Algarve, o ABC – Algarve Biomedical Centre, um consórcio entre a Universidade do Algarve e o Centro Hospitalar do Algarve”, acrescenta a investigadora que tem trabalhado sobretudo na prevenção do cancro da mama.
Investigação de topo que, como se sabe, não é fácil num país de escassos recursos financeiros e onde a Ciência nem sempre tem sido bem tratada, ainda para mais numa região como o Algarve que está bastante associada ao turismo, nomeadamente ao sol e mar. Apesar disso, o CBMR tem obtido resultados de excelência e reconhecidos além-fronteiras e para isso muito tem contribuído o contributo da Universidade do Algarve. A este apoio juntam-se as verbas atribuídas pelo poder central através da Fundação para a Ciência e a Tecnologia, sendo que os centros de investigação vão ser novamente avaliados em 2017. “Este financiamento é suficiente para o funcionamento normal do centro, ou seja, para a componente administrativa. Depois, como qualquer outro Centro do mundo, concorremos a projetos e os próprios investigadores candidatam-se a bolsas. A nossa investigação é internacional e, por isso, o nosso financiamento vem de todos os pontos do globo”, indica Ana Teresa Maia.
A vice-diretora do CBMR reconhece, contudo, que muitos algarvios não se apercebem da qualidade do trabalho ali realizado e que tem sido constantemente premiado pela comunidade internacional, o que é bom, porque os prémios não trazem apenas financiamento, mas também reconhecimento. “Uma das nossas desvantagens é, realmente, a economia do Algarve estar bastante centrada no turismo e nem sempre é fácil conseguir direcionar fundos para a investigação, nomeadamente aquela em torno da saúde. Mas nunca nos damos por vencidos e temos desenvolvido contatos com a CCDR e a ARS para tentar melhorar o financiamento para esta área”, aponta, revelando ainda que este centro é muito eclético no que toca aos seus elementos. “O nosso diretor é sueco e temos diversos colegas estrangeiros. Para além disso, muitos dos chefes de equipa que são portugueses tiveram experiências além-fronteiras e eu própria estive 13 anos em Inglaterra. Outros trabalharam nos Estados Unidos e no Canadá e isso alargou imenso a nossa rede de contatos, de modo que a nossa investigação não está fechada no Algarve, antes pelo contrário”.

O Museu Municipal de Loulé foi palco, no dia 22 de fevereiro, do «Be P-Art», uma produção da Associação Amarelarte, inserida no programa «365 Algarve», que pretende fazer a ponte entre o passado e o presente através de histórias, lendas e crenças. O espetáculo multidisciplinar combina teatro, música e projeção de imagens e termina com um buffet de sabores temporais.

Texto: Daniel Pina | Fotografia: Daniel Pina

No passado dia 22 de fevereiro, ao final da tarde, com o pôr-do-sol como pano de fundo, o Museu Municipal de Loulé recebeu o espetáculo teatral «Be P-Art», uma criação de Nicole Lissy, da Associação Amarelarte, que procura ligar o passado e o presente por via de histórias, lendas e crenças e com uma participação bastante ativa do próprio público. Isto porque os espetadores, portugueses e estrangeiros, são convidados a interagir com as personagens e a comer com os atores no fim da performance, num ambiente informal de troca de ideias e opiniões.
A ênfase do espetáculo são detalhes e realidades fictícias, mas inspiradas na pesquisa histórica, sobre o Castelo de Loulé, baseando-se na época da reconquista Cristã por D. Afonso III e D. Peres Paio Correia, mas também abordando eventuais conflitos e ligação entre as duas grandes religiões: os muçulmanos e os cristãos. É, acima de tudo, uma fusão entre expressão visual, corporal, musical e sensorial, linguagens artísticas e universais para públicos de diferentes países, e que já tinha sido experimentado, em 2016, no Castelo de Paderne, ao abrigo do Programa DiVaM, da Direção Regional de Cultura do Algarve. “Ficou a vontade de continuar a criar de uma forma teatral bastante aberta, misturando disciplinas e incluindo o público, que não fica sentado ao lado do palco”, conta Nicole Lissy.
Para já, «Be P-Art» vai voltar a «cena», no Castelo de Loulé, nos dias 28 de março e 18 de abril, e no Castelo de Tavira, nos dias 10 de março, 8 de abril e 6 de maio, mas o desejo é percorrer mais monumentos da região, com a certeza de que nenhum espetáculo será exatamente igual ao seu antecessor. “Têm a ver com episódios da história do Algarve, com aqueles que permanecem na memória das pessoas, mas também com aqueles que ficaram esquecidos no tempo ou que foram contados de outras formas. Nós também criamos alguns aspetos e é perfeitamente possível combinar eventos políticos com tragédias pessoais. Há sempre heróis e vilões nas histórias”, levanta um pouco do véu, mas não em demasia, para não estragar a surpresa. “O objetivo é que o público sinta o que está a presenciar e reflita, de um modo mais profundo, ou simplesmente desfrute do que está a vivenciar. Normalmente é fácil definir quem é o «bom» e o «mau» dos espetáculos, mas aqui não existe nada disso, fica ao critério do espetador”, adianta Nicole Lissy.
Com diversas disciplinas em perfeita sintonia ao longo do «Be P-Art», a parte musical surge como uma agradável surpresa, interpretada por Rui Afonso e Luís Lourenço, que acompanham, com o seu repertório, todo o conceito artístico de uma forma bastante flexível. Ou seja, é quase como que uma banda sonora tocada ao vivo, enquanto decorre a ação, o que envolve ainda mais a assistência. “Os músicos têm um papel muito importante no espetáculo, praticamente vão criando a história à medida que ela se vai desenrolando, porque há muito pouco palavra. Há um livro com um pequeno texto em português e inglês, para contextualizar o que está a acontecer, e pouco mais”, explica a responsável pelo projeto.  

Os Vá-de-Viró assinalam, em 2017, um quarto de século de existência, 25 anos a tocar sobretudo música tradicional portuguesa mas que, com o passar do tempo, foi abraçando igualmente outras sonoridades. Uma evolução natural numa verdadeira «família» por onde têm passado quase quatro dezenas de elementos, uns músicos a tempo inteiro, outros profissionais de outras áreas, unidos pela paixão comum pela música cantada em português.

Texto: Daniel Pina

Reunir os 10 elementos dos Vá-de-Viró não é tarefa fácil, portanto, Paulo Cunha e Jorge Semião foram os representantes deste grupo, nascido em 1982, com quem estivemos à conversa na sede da Associação Cultural Música XXI, em Faro. Um quarto de século dedicado essencialmente à música tradicional portuguesa numa banda que nasceu da vontade de um grupo de professores do Conservatório Regional do Algarve em dar a conhecer este estilo aos seus alunos. “Começamos a misturar os instrumentos ditos clássicos com as harmonias e melodias tradicionais e, no início, até nos chamávamos Grupo de Música Tradicional Portuguesa do Conservatório Regional do Algarve, um nome enorme. O grupo depois evoluiu, sem renegar as suas raízes, e tocamos músicas com influências de outros países e culturas, bem como temas próprios. Os nossos compositores combinam a sua originalidade com alguma tradicionalidade, graças à vasta bagagem e experiência que possuem”, refere Paulo Cunha, um dos sobreviventes da formação original, a par de Cláudia Matias.
Sem hesitações, Paulo Cunha garante que, quando esta jornada começou, era mesmo para prosseguir por largos anos, pelo que não o admira a longevidade dos Vá-de-Viró. “Enquanto as pessoas acreditarem, os projetos continuam, e estou bastante feliz por termos chegado aos 25 anos. Neste trajeto passaram pelo grupo 38 elementos e há uma empatia e uma solidariedade muito grandes entre todos nós”, assegura o membro-fundador, com Jorge Semião a reconhecer que o cultivar de um convívio permanente entre os músicos tem sido fundamental nesta já longa caminhada. “Se calhar, outra razão para o projeto ter durado tanto tempo é não sermos um grupo estritamente profissional. Se estivéssemos todos concentrados nos Vá-de-Viró como um projeto comercial, dificilmente conseguiríamos ter tantos elementos, haveria uma maior rotatividade. As pessoas levam isto muito a sério mas, no fundo, é um hobby porque não vivemos financeiramente da banda”, considera o professor de engenharia eletrotécnica da Universidade do Algarve.
Este desprendimento, ou informalidade, como lhe queiram chamar, não significa, porém, que a exigência não seja total, nada disso, simplesmente não estão empenhados em fazer um «x» número de concertos por ano ou em lançar constantemente novos discos por precisarem desse retorno financeiro para viverem no dia-a-dia. “Mas alguns dos Vá-de-Viró vivem exclusivamente da música, uns por serem professores de música, outros por integrarem outras bandas. Aliás, houve uma altura em que um dos nossos colegas tocava em cinco projetos em simultâneo”, lembra Jorge Semião, acrescentando que a música tradicional portuguesa também não será o estilo mais indicado para se ter um enorme sucesso comercial no nosso país. “Provavelmente não existirá em Portugal nenhum grupo de música tradicional ou popular que seja 100 por cento profissional. Isso depois influencia a própria questão de produzir discos com regularidade, o que também é complicado face às nossas ocupações principais”, admite.

Inserido na rúbrica «Às Quintas no Teatro», o Teatro das Figuras recebeu, no dia 9 de fevereiro, a peça «Daqui Ninguém Entra». Em palco, dois atores. Ela não quer ver ninguém. A porta, ainda que fechada, é a sua maior vulnerabilidade e o seu maior obstáculo também. Num mundo de gente trancada, quem guarda ainda essa chave que permite com cada coisa abrir outra coisa? Quem se atreve a empunhá-la? Questiona a protagonista…
«Daqui Ninguém Entra» é um lugar em que dentro e fora se dispõem a medir forças. A partir de um momento perdido na juventude, a solidão assume-se como um troféu que inaugura a individualidade. Porém, o custo poderá ser demasiado alto. A abertura dessa paisagem própria encerra a ameaça do seu povoamento pela perda e pelo cansaço.


Ficha artística e técnica
Texto: Vasco Gato
Encenação: Luciana Ribeiro
Interpretação: Inês Veiga de Macedo e João Ascenso
Apoio à cenografia e figurinos: Luna Rebelo
Fotografia: Vitorino Coragem
Assistência de Encenação: Inês Basto
Desenho de Luz: Rui Seabra
Produção: Catarina Pires e Inês Veiga de Macedo 
Design Gráfico: António Queirós


Para o presidente da Câmara Municipal de Olhão, António Miguel Pina, a futura reabilitação na Frente Ribeirinha, cujo projeto foi apresentado ao público, no dia 23 de fevereiro, na Biblioteca Municipal Mariano Gago, “vai orgulhar todos os olhanenses e mudar a face da cidade”.
Esta verdadeira «revolução» numa das zonas mais nobres da cidade contempla a requalificação dos jardins Patrão Joaquim Lopes e Pescador Olhanense, a zona dos Mercados Municipais e a Avenida 5 de Outubro, e vai conferir a toda esta zona características mais modernas, polivalentes e, sobretudo, amigas dos peões. O denominador comum desta intervenção é a evocação da Ria, do mar e das tradições olhanenses e a preservação da memória e de espaços icónicos, criando uma zona homogénea, onde jardins, Mercados, Avenida 5 de Outubro e estabelecimentos comerciais vão formar um conjunto integrado, eliminando as barreiras arquitetónicas e visuais que atualmente existem e criando uma zona turística por excelência, bem como um espaço de usufruto para todos os olhanenses.


No Jardim Patrão Joaquim Lopes, o objetivo é conferir àquele espaço verde um aspeto mais homogéneo, prevendo-se a construção de uma nova bilheteira e de novos pontos de informação turística para substituir os atuais, requalificação do cais de embarque, da cafetaria e da geladaria e criação de dois novos estabelecimentos de restauração e bebidas. Será ainda criada uma zona de merendas e um monumento de evocação ao patrono do jardim, Patrão Joaquim Lopes. Em relação a uma eventual intervenção junto das árvores existentes, o Presidente da Autarquia fez questão de afirmar categoricamente que “não irá haver lugar ao abate de qualquer árvore”.
Já no Jardim Pescador Olhanense, de acordo com uma das autoras do projeto, a arquiteta Amélia Santos, o principal desafio foi reforçar a mancha arbórea e criar espaços de lazer e diversão sem, no entanto, perder de vista o caráter polivalente deste espaço, nomeadamente no que diz respeito à realização de eventos como o Festival do Marisco. O projeto prevê que passe a haver neste jardim dois parques infantis contíguos, para utilização de crianças de idades diferenciadas. Serão criadas diversas zonas de lazer, com a instalação de espreguiçadeiras que convidam à contemplação da Ria, ou a criação de dois anfiteatros multiusos. Também o atual ginásio ao ar livre será relocalizado numa zona mais a nascente, de forma a integrar o Jardim Pescador Olhanense e tirar partido da sombra proporcionada pelas árvores. A venda ambulante que atualmente se efetua neste espaço será relocalizada. Como resultado, os dois jardins passarão a formar um conjunto coerente do ponto de vista paisagístico e complementar do ponto de vista dos equipamentos e funcionalidades, reforçando a ligação com a Ria.


No que diz respeito à intervenção na Avenida 5 de Outubro, a principal preocupação da equipa que concebeu o projeto foi, adianta Amélia Santos, “reforçar o espaço disponível e dar um caráter mais homogéneo às esplanadas e, ao mesmo tempo, criar uma zona de circulação de peões, numa artéria que se pretende constitua uma ligação e não uma barreira entre a Frente Ribeirinha e a Zona Histórica da cidade”. Assim, os espaços públicos vão ser reorganizados, bem como o estacionamento e a circulação automóvel, com o objetivo sempre presente de privilegiar a circulação de pessoas.
Esplanadas, passeios e faixa de rodagem serão nivelados, para tornar a zona mais «amiga» de quem circula a pé. Quanto a eventuais mudanças na circulação automóvel, o projeto permite várias soluções. “Não sabemos ainda se a circulação se passará a fazer só num sentido, se se manterá nos dois sentidos, ou se será condicionada. Uma decisão final nesta matéria está pendente de um estudo de tráfego que será elaborado em breve. Em qualquer dos casos, será mantido o número de lugares de estacionamento”, adianta o presidente da Autarquia, António Miguel Pina. “Uma vez concluído, Olhão será dotado de uma Frente Ribeirinha única no Algarve, e talvez no País, moderna, que preserva a tradição, os valores e a alma olhanense, um espaço à escala humana com uma vivência social intensa, onde será muito melhor passear mas, também, onde será muito melhor trabalhar”.
O projeto de arquitetura agora apresentado seguirá em breve para a Sociedade Polis, que será a responsável pela execução. O concurso público deverá ser lançado no segundo semestre deste ano, prevendo-se o arranque das obras no final de outubro, após a época balnear. O custo da intervenção ronda 1,5 milhões de euros – 900 mil imputados à Sociedade Polis e 600 mil à Autarquia de Olhão.



O Pestana Hotel Group prepara uma ação de recrutamento destinada a todos os profissionais de hotelaria, para os seus Hotéis e Pousadas de Portugal, criando assim oportunidades de emprego e carreira para o ano de 2017. No total são mais de 300 vagas de emprego e ainda inúmeras vagas para estágios.
Esta iniciativa visa identificar potenciais talentos para o preenchimento de vagas em aberto nas unidades Pestana Hotels & Resorts e Pousadas de Portugal na região do Algarve, Alentejo, Lisboa, Centro, Norte e Madeira. A Direção de Recursos Humanos do Pestana Hotel Group fará a seleção dos candidatos no dia 1 de março, na Pousada Palácio Estoi e no dia 2 de Março, no Hotel Pestana Alvor Praia, entre as 9h e as 19h. Esta ação tem como principal objetivo recrutar profissionais em diversas áreas como cozinha,  housekeeping, restaurante, bar, pastelaria, entre outras. “Somos o maior grupo hoteleiro internacional de origem portuguesa e só com uma forte aposta nos recursos humanos conseguiremos continuar a prestar o serviço de excelência que nos mantém na nossa atual posição de liderança em Portugal”, refere Pedro Fernandez, Membro da Comissão Executiva com o pelouro da Operação Hoteleira de Portugal e África.
O Pestana Hotel Group conta já com 13 unidades hoteleiras no Algarve, tendo inaugurado, em setembro de 2016, o Pestana Algarve Race, reinaugurado, em maio de 2016, o Pestana Alvor Praia e aberto, em 2015, o Pestana Alvor South Beach. 

Em 2017, e como vem sendo habitual desde há 19 anos, o Março é Jovem em Portimão. Durante todo o mês, o concelho é marcado por diversos eventos e atividades de desporto, dança, música, teatro, cinema, e muitas novidades. O pontapé de saída é dado no dia 3, pelas 20h30, com a festa de abertura na Praça da Alameda.
Este evento vai contar com um grupo de artistas bastante diversificado, tais como tunas académicas, combos de jazz e comediantes. Ainda na área da música, destaca-se o Concurso de Bandas Março Jovem no Bar Marginália, em Portimão, pelas 22h, com as eliminatórias a terem lugar nos dias 4, 11 e 18 e a grande final no dia 25.
No espaço da dança, é de salientar o evento «Dançar sem Parar», no pavilhão Gimnodesportivo, dia 19, pelas 16h, um espetáculo de dança criativa, contemporânea, tradicional, salão, jazz, moderna, comercial e hip-hop. Para quem gosta de teatro, o Grupo de Teatro Amador do Clube de Instrução e Recreio Mexilhoeirense sobe ao seu palco no dia 10, às 21h30, para estrear a sua peça «Na T’Escondas Q’É Já Te Vi». No mesmo âmbito, o Teatro Infantil de Portimão organiza nos dias 4, 11, 18 e 25, entre as 15h e as 17h, Oficinas de Teatro para Pais e Filhos na antiga escola primária da Pedra Mourinha com um custo de participação de 10 euros (adulto + criança).

Exposições em destaque

Durante estes dias, serão várias as exposições a visitar. Na Casa Manuel Teixeira Gomes estará patente, de 3 a 31, Ilustrações por Alda Henrique e, de 10 a 17, o 1.º Concurso de Artes das Escolas Secundárias do Algarve. Outras propostas são a exposição de fotografia «Geografias de Portimão», disponível até dia 31 no Complexo Desportivo da Mexilhoeira Grande, que reúne trabalhos dos alunos do Agrupamento de Escolas da Bemposta. O Museu de Portimão, por seu lado, terá entrada gratuita de 7 a 14 de Março, entre as 10h e as 18h e promove, de 10 a 24, a iniciativa «Património Fora de Rota», com o objetivo de dar a conhecer locais do património portimonense habitualmente fora das rotas turísticas. Nota ainda para os concursos de Miss e Mister que irão ser organizados pelas Escolas Secundárias Poeta António Aleixo (dia 4 de março) e Manuel Teixeira Gomes (18 de março), às 21h no Portimão Arena.

Desporto para todos os gostos

No capítulo desportivo destacam-se, no dia 11, a 3ª edição do Woman Surfing Day na área desportiva da Praia da Rocha (10h-13h); a maratona de andebol no Pavilhão Gimnodesportivo de Portimão (10h-22h), que tem como público-alvo os alunos das escolas secundárias de Portimão, Silves, Lagoa e Lagos; o torneio de xadrez no Clube Naval de Portimão (15h-18h); e a aula aberta de Karaté e Krav Maga no Clube Desportivo da Pedra Mourinha (15h-18h). No dia 12 terá lugar, a partir das 9h e ao longo de todo o dia, o Peddy Paper Fotográfico, organizado pelo Instituto Superior Manuel Teixeira Gomes e pela Escola Professional Gil Eanes, com prémios para os primeiros classificados.
De 13 a 17, a escola Shokotan Karaté de Portimão organiza aulas gratuitas de Karaté com o Sensei João Paula, pelas 18h30. Nos dias 14 e 21 tem lugar, no Campo Sintético da Escola Manuel Teixeira Gomes, o torneio de futebol ISMAT Cup e, dia 19, pelas 10h, sairá do Parque de Feiras e Exposições um passeio solidário de bicicleta, com o preço de cinco euros da inscrição a reverter para a Cáritas Paroquial Matriz de Portimão. Durante o mês de março será possível aos jovens, dos 14 aos 35 anos, praticarem diferentes modalidades e usufruírem gratuitamente, mediante marcação, dos complexos desportivos e piscina municipal de Portimão.



Contra-Maré – o cinema e a música vão ao museu

Como já é habitual, o cinema também marca presença no Março Jovem. O museu de Portimão recebe, a 4 de Março, Paulo Filipe Monteiro (realizador do filme «Zeus» sobre um período da vida de Manuel Teixeira Gomes) e José Alberto Quaresma (autor de uma biografia sobre o ex-Presidente da Iª República) para uma conversa sobre a grande figura portimonense, após o visionamento do supramencionado filme. No dia seguinte será projetado o filme «Uivo», de Eduardo Morais, que poderá também ser visionado dia 26 de Março. Finalmente, a 25, serão musicados filmes de George Méliès e Júlio Bernardo. Para os apaixonados pelo mundo sonoro, vários workshops terão lugar no museu no fim-de-semana de 11 e 12 de Março.

Partilha de saberes

Também a vertente da formação volta a constituir uma forte aposta no Março Jovem, que apresenta um leque bastante diversificado de conferências e workshops, que vão desde aulas de tiborna algarvia e doce fino, na Quinta Pedagógica de Portimão, até debates sobre democracia, juventude e poder local, na Divisão de Desporto e Juventude de Portimão, ou um meeting Europa Jovem no Café Concerto do Teatro Municipal de Portimão. A Beta-Talk volta a integrar o programa do Março Jovem com uma edição especial, que desta vez traz dois empreendedores para partilharem a sua experiência: Bruno Fonseca - fundador da marca REPTO e Fábio Duarte - fundador da Academia «Dança Mais», em Portimão.
O ISMAT adere ao espírito do Março Jovem e promove aulas abertas para maiores de 17 anos, que vão desde esclarecimentos sobre profissões jurídicas e gestão estratégica das empresas modernas até uma sessão de Mindfulness e bem-estar. O Março Jovem 2017 encerrará em grande, a 1 de, Abril no Portimão Arena, com o XVII Enportunas – Encontro de Tunas Académicas que, como habitual, junta a irreverência musical das tunas académicas algarvias a um DJ para um espetáculo bastante animado.

A CCILA – Câmara de Comércio e Indústria Luso-Alemã e a AHETA – Associação dos Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve, assinaram um acordo de colaboração com o intuito de promover a progressão dos níveis de qualificação profissional e de escolarização dos trabalhadores das empresas hoteleiras e turísticas do Algarve, através da criação de percursos formativos mais adequados às suas necessidades de empregabilidade. A troca regular de documentação entre as duas entidades, designadamente dados estatísticos e resultados de trabalhos sobre as atividades desenvolvidas por ambas as partes, constitui outra área de colaboração conjunta.
Com a assinatura do presente acordo, os dois organismos assumem, claramente, a responsabilidade em desenvolver esforços conjuntos, com o objetivo de aumentar a qualidade dos serviços prestados, os níveis de produtividade e, por essa via, a competitividade económica e social dos hotéis e empreendimentos turísticos do Algarve. Neste sentido, as duas partes comprometem-se a implementar ações de requalificação formativa dos colaboradores dos estabelecimentos hoteleiros e turísticos regionais, envolvendo os vários departamentos e serviços existentes nas empresas.

A Feira dos Enchidos, que decorre nos dias 3, 4 e 5 de março, é um dos principais cartões-de-visita de Monchique que homenageia a tradição, os usos e os costumes. A presença de várias Unidades de Produção de Enchidos e de Cozinhas Tradicionais conferem ao evento a genuinidade de sabores e saberes. Para além da gastronomia, o artesanato tem também uma forte presença, havendo ainda stands dedicados à doçaria, medronho, pão e outros produtos.
A edição deste ano oferece um cartaz musical de grande qualidade, com a atuação do Rancho Folclórico da Luz de Tavira, no dia 3 de março, às 21h30, dos Quinta do Bill, no dia 4 de março, às 22h, e de Virgul, no dia 5 de março, às 18h. Existem ainda outras propostas de convívio e entretenimento para toda a família, com animação circulante, com diversas atuações da Banda de Concertinas da Sertã nos dois dias de feira. O visitante poderá também assistir a diversos momentos de showcooking dinamizados pela Associação de Cozinheiros e Pasteleiros do Algarve, tendo como principal foco de criação e confeção os enchidos de Monchique.
O certame será palco também do Prémio Lima Duque, atribuído a um produtor de enchidos, com o intuito de perpetuar a lembrança do Dr. Luís Fernando Maia de Lima Duque, médico veterinário e pessoa desde sempre ligada a esta feira. Com organização do Município de Monchique, o festival abre as portas às 16h do dia 3 e encerra às 21h do dia 5, com entrada livre.

No âmbito do programa de Carnaval é inaugurada, no dia 25 de fevereiro, pelas 14h30, a obra de modernização do Salão de Festas Municipal de Loulé, integrada no projeto «Loulé Requalifica». O momento será marcado com a realização de um Baile Sénior de Carnaval.
O emblemático espaço de animação da cidade, localizado junto ao Estádio Municipal, encontrava-se num acentuado estado de degradação. Entretanto, foi adquirido pela Autarquia, que ali realizou uma intervenção profunda ao nível estrutural, do palco, zona de bar e casas-de-banho. A par desta empreitada, a Câmara de Loulé aprovou um Regulamento para a utilização do espaço por parte dos clubes, associações e população em geral.


Neste dia, o Salão de Festas irá receber mais uma edição do Baile Sénior de Carnaval onde 500 pessoas das várias freguesias do Concelho irão desfrutar de um momento de convívio ao ritmo da música de José Pasadinhas. Estes bailes promovidos pela Câmara Municipal de Loulé têm tido um importante papel na ocupação saudável dos tempos livres da população sénior, promovendo o envelhecimento saudável e ativo, fomentando o convívio e a sociabilidade e contribuindo para o bem-estar social da população.

Termina este sábado, dia 25 de fevereiro, a mostra do fotógrafo de renome internacional Nuno Sá, que ao longo do mês tem vindo a mostrar o seu trabalho ao público olhanense na Galeria da Biblioteca Municipal José Mariano Gago. Para assinalar a passagem por Olhão de um espólio desta importância, a organização preparou um conjunto de atividades, a decorrerem no espaço da Biblioteca nestes últimos dois dias de exposição, e que contam com a presença do autor.
O programa começa esta sexta-feira, pelas 14h30, com uma palestra proferida por Nuno Sá, subordinada ao tema «Oásis», destinada aos alunos das escolas do 2.º e 3.º Ciclo. A atividade repete-se às 16h30, mas desta vez tem como público-alvo alunos do ensino secundário, universitário e investigadores. À noite, pelas 21h, o público em geral terá oportunidade de assistir aos Contos da Ria, uma atividade promovida pela Quercus e pela Associação de Pais da EB 2,3 João da Rosa, e que conta com João Rodrigues como convidado, biólogo e assistente de Nuno Sá.
No dia 25, sábado, a partir das 15h30, Nuno Sá convida o público em geral a assistir à sua palestra, que gira à volta de dois temas: «Captar os Oceanos - Fotografia de Conservação», onde será abordado o papel da fotografia de natureza como ferramenta de sensibilização e conservação ambiental; e «Mar, a última fronteira», que contempla a apresentação do recente projeto audiovisual com o mesmo nome, uma série televisiva que tem como principal objetivo a divulgação da vida marinha de Portugal. A Ria Formosa estará em especial destaque. A exposição «Oásis» é uma pequena amostra de momentos captados na imensidão do mar que rodeia o arquipélago dos Açores. Retrata algumas espécies bem conhecidas pelos seus habitantes e amantes da natureza que anualmente procuram estas ilhas, bem como acontecimentos únicos e de rara beleza que o autor teve o privilégio de testemunhar.
Nuno Sá, fotógrafo profissional desde 2004, especializou-se em fotografia de vida selvagem de temas marinhos. Conta com seis livros editados e é colaborador regular de várias revistas nacionais e internacionais, entre elas a National Geographic Portugal. Conta com trabalhos expostos em alguns dos maiores museus de história natural do mundo, tais como o London Natural History Museum e o Smithsonian National Museum of Natural History, em Washington. É membro da equipa europeia de elite de fotógrafos de natureza, «Wild Wonders of Europe», o maior projeto de fotografia de natureza a nível mundial, com um público esperado de mais de 100 milhões de pessoas, apoiado pela National Geographic Society.


A Câmara Municipal de Alcoutim aprovou, no dia 23 de fevereiro, a renovação do acordo de cooperação com a Associação de Guitarra do Algarve (AGA). Com um apoio financeiro prestado pela autarquia superior a 14 mil euros, a AGA vai continuar, deste modo, a ensinar música, com base na guitarra clássica, a crianças e jovens do concelho de forma gratuita.
Com base no acordo, com a validade de um ano, a AGA proporciona aulas de guitarra a várias dezenas de crianças e jovens em Alcoutim e Martim Longo, garante a promoção de audições públicas e organiza a participação em encontros musicais no contexto da Orquestra Juvenil de Guitarras do Algarve. O projeto tem assumido uma grande importância no concelho, não apenas na formação dos jovens, mas também ao nível da dinamização da vida cultural local.

Realizou-se recentemente, no Salão Nobre dos Paços do Concelho de Loulé, a quinta reunião dos parceiros locais referente às «Vital Cities», projeto liderado por Loulé e que integra uma rede de 10 municípios europeus. O principal objetivo foi apresentar três planos de intervenção urbana, nas cidades de Quarteira e Loulé, que visam criar zonas onde as pessoas possam praticar desporto informal.
Como explicou Hugo Nunes, coordenador a nível europeu do projeto «Vital Cities», estas intervenções estavam já a ser ponderadas pela Autarquia, mas ganham agora novos contornos, já que tocam naquela que é a essência das «Vital Cities». “A ideia é requalificar espaços que, do ponto de vista urbanístico, estavam mal resolvidos e criar aí condições para outras atividades, nomeadamente ao nível do desporto”, frisou o vice-presidente da Câmara Municipal de Loulé.
Em Quarteira, são duas as intervenções previstas: na zona envolvente à Abelheira e Amendoeira, o objetivo é criar uma ligação entre os dois bairros que permita recuperar toda esta área para que a mesma possa ser usufruída em plenitude pela população; nas Ruas Stuttgard e Coppingen, perto da Igreja de S. Pedro do Mar, será criado uma zona de estacionamento e um espaço verde com equipamentos geriátricos que estarão ao serviço da população.
Já em Loulé, o objetivo passa pela requalificação da envolvente ao Estádio Municipal, valorizando-a para a prática desportiva e abrindo-a a novas valências. Um dos pontos principais do projeto é criar uma nova solução para o muro do Estádio uma vez que este constitui uma barreira entre os bairros e arruamentos envolventes. Nesse sentido, o muro será retirado, criando-se uma nova barreira em forma de talude, com abertura visual. “O Estádio é «entregue» às pessoas para que seja utilizado informalmente, numa tentativa de realizar aqui outro tipo de ações, tornando as pessoas mais ativas”, considerou Hugo Nunes.

A partir de 4 de março, o grupo Al Teatro dinamiza, no auditório da FISSUL, em Silves, a Oficina de Expressão Dramática para Crianças. Brincar, jogar e imaginar é o desafio para ao mais novos, entre os 6 e 12 anos, que poderão passar as manhãs de sábado, das 10h30 ao 12h30, a explorar a sua imaginação, sensibilidade e criatividade de uma forma lúdica e divertida.
O AL Teatro é uma companhia de teatro financiado pelo Ministério da Estado da Cultura /Direção Geral das Artes e Câmara Municipal de Silves.

A ACRAL realiza, no dia 15 de Março, às 21h, no Teatro Lethes, em Faro, a primeira iniciativa do ciclo «Conferências Algarve 21». Esta primeira conferência, com o tema «Economia e Desenvolvimento Regional», é moderada por Vítor Norinha, diretor-geral da Megafin-Jornal Económico, e tem como oradores convidados o ex-presidente da Câmara do Porto, Rui Rio, e o antigo membro da direção do Partido Socialista, Álvaro Beleza.
Rui Rio é economista e foi presidente da Câmara Municipal do Porto entre 2001 e Outubro de 2013. Álvaro Beleza é hematologista, foi presidente do Instituto Português do Sangue e candidato a bastonário da Ordem dos Médicos. O ciclo «Conferências Algarve 21» tem como parceiros estratégicos o grupo HPA Saúde e a empresa Joaquim & Fernandes – Eletricidade e Telecomunicações. O Jornal Económico e o semanário Barlavento são media partners desta iniciativa.

No dia 3 de março, Manuel Ribeiro apresenta o livro e exposição «Nas Águas do Ribeiro que Sou», pelas 17h, na Galeria de Arte Pintor Samora Barros, situada no centro antigo de Albufeira. Esta é a sua sétima obra mista, que reúne poesia, pintura e escultura e que retrata de forma metafórica as sensibilidades do autor, através de várias imagens reais da sua vida.
A exposição é composta por telas de paisagens pictóricas da realidade e da fantasia, de riachos, rios, mares, lagos e “das águas aladas das nuvens das emoções”, em várias técnicas e estilos. Já as esculturas são feitas a partir de pedras trabalhadas pelo mar, conchas e folhas secas.
Engenheiro de profissão, Manuel Ribeiro dedica-se à poesia e à pintura há mais de 50 anos, tendo realizado diversas exposições, individuais e coletivas, em Portugal e em África. A técnica deste artista, residente em Albufeira, combina diversos materiais e socorre-se essencialmente de óleos, tinta-da-china, acrílicos e pastel. Mas Manuel Ribeiro não se sentia completo na arte do desenho e da pintura e aventurou-se no mundo da escultura, baseada na simplicidade e no inédito.
Desempenhou funções docentes nas áreas de pintura e desenho artístico na UATI – Universidade dos Amigos da Terceira Idade, em Albufeira. Em 2000, foi convidado pela Câmara Municipal de Albufeira para fazer um conjunto de pinturas relativas às cinco freguesias para serem expostas na Ilha do Sal, em Cabo Verde, na comemoração dos dez anos de geminação. Em março de 2016, realizou mais uma exposição em Albufeira intitulada «Ousadias», que registou a visita de centenas de pessoas e tornou-se conhecida a nível mundial com o convite para ser exposta na Escócia e no Canadá.
Manuel Ribeiro é adverso à imitação, até na área da arquitetura, onde fez dezenas de projetos. Nas artes faz o mesmo. O seu princípio é sempre orientado para a criatividade, o que lhe tem valido diversos prémios em pintura e poesia. A exposição de pintura, escultura e poesia estará patente na Galeria de Arte Pintor Samora Barros, de 3 a 27 de março, de segunda-feira a sábado, entre as 9h30 e as 12h30 e as 13h30 e as 17h30.

A «Start Work II – Mostra de Educação, Formação Profissional, Empreendedorismo e Emprego» reúne, nos dias 9, 10 e 11 de março, empresas e instituições públicas e privadas da região, contando já com a participação de mais de 40 expositores confirmados, entre eles a gigante empresa sueca IKEA, com abertura prevista para final de março no futuro Mar Shopping Algarve, e o grupo Jerónimo Martins, que estará igualmente a recrutar interessados para as lojas Pingo Doce da região.
Alberto Oculista, Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Portimão, Cascade Wellness & Lifestyle Resort, CLCC - Centro de Línguas, Cultura e Comunicação, Conservatório de Portimão Joly Braga Santos, Delta Cafés, DUAL – Qualificação Profissional, Escola de Hotelaria e Turismo de Portimão – Turismo de Portugal, IP., Escola Profissional Gil Eanes de Portimão, ETIC_Algarve - Escola de Tecnologias, Inovação e Criação do Algarve, Forma & Animus – Animação e Formação Profissional Lda., GNR - Guarda Nacional Republicana, Hotel Algarve Casino, Inovarte - Motivação, Coaching e Criatividade, Instituto PIAGET, ISMAT – Instituto Superior Manuel Teixeira Gomes, J.N.C. Associação Jovens & Natureza Algarve, Júpiter Algarve Hotel, Macdonald Monchique Resort & Spa, MADRE Fruta, Marsh Gourmet, Oficina de Sonhos – Produção e Animação de Eventos, OK Estudante, PSP - POLÍCIA DE SEGURANÇA PÚBLICA, Randstad, RE/MAX, SEF – Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, Serviço Municipal de Proteção Civil de Portimão, SISEP, SmartSkills Consulting, SW - SUCCESS WORK, Empresa de Trabalho Temporário, Lda., Talenter, Tecla, UAlg – Universidade do Algarve, Viaefe – Consultores de Gestão, Victor Picardo Hairstyling Group, Visatempo Trabalho Temporário, Zoo de Lagos e Zoomarine Algarve são as outras empresas e instituições já confirmadas, a par dos coorganizadores IEFP e DEGesT e, ainda, todos os agrupamentos escolares do município de Portimão.
O certame, que tem entrada gratuita e decorrerá entre as 10h e as 19h, no Portimão Arena, visa promover a divulgação de ofertas de emprego e estágios profissionais, programas e medidas de apoio ao investimento, formação profissional, ensino secundário normal e profissionalizante e ensino superior, disponibilizadas por empresas e instituições de ensino públicas e privadas, politécnicas e universitárias existentes no município e região do Algarve. Estão ainda programadas iniciativas de promoção aos cursos lecionados pelas instituições de ensino representadas e agendados workshops e demonstrações temáticas e sessões de esclarecimento de curta duração promovidas pelas empresas e instituições presentes.
José Inácio Marques Eduardo é o nome indicado por unanimidade pela Comissão Política Concelhia de Lagoa do PSD, e aceite pela sua Assembleia de Militantes, igualmente por unanimidade. Este voto mereceu o mesmo sentido pela Distrital do Partido Social Democrata Algarve, considerando o vasto currículo do candidato e o espírito de missão que lhe é reconhecido em servir as populações.  
O anterior edil lagoense vai defrontar, assim, Francisco Martins, do PS, o atual presidente da Câmara Municipal de Lagoa, nas Eleições Autárquicas deste ano.  

A Federação Portuguesa de Golfe (FPG), a PGA de Portugal e o grupo NAU Hotels & Resorts assinaram, no dia 23 de fevereiro, em Lisboa, um protocolo que viabiliza o regresso do Open de Portugal @ Morgado Golf Resort aos calendários oficiais do PGA European Tour e do Challenge Tour, por um período de três anos. Miguel Franco de Sousa, presidente da FPG, José Correia, presidente da PGA de Portugal, e Mário Azevedo Ferreira, CEO do NAU Hotels & Resorts foram os rostos de uma parceria sancionada pelo PGA European Tour e pelo Challenge Tour. 
Esta parceria permite levar pela primeira vez ao Morgado Golf Course, situado no concelho de Portimão, a primeira e a segunda divisão do golfe profissional europeu, num torneio de meio milhão de euros em prémios monetários, a contar para o ranking mundial, Corrida para o Dubai (ranking do European Tour) e Corrida para Omã (ranking do Challenge Tour). A data escolhida, de 11 a 14 de maio, é importante porque será o primeiro evento do European Tour de 2017 em solo europeu, depois do circuito ter passado pela África do Sul, Austrália, China, Emirados Árabes Unidos, Qatar, Malásia, México, Índia, Estados Unidos e Marrocos. O mesmo sucede no Challenge Tour, circuito que arranca no Quénia, segue para a Turquia e depois terá este ponto alto da sua temporada no Algarve. 
O Open de Portugal @ Morgado Golf Resort, apoiado também pelo Instituto Português do Desporto e Juventude, regressa após um hiato que datava de 2010. O evento assume o formato de «dual ranking», à semelhança com o que aconteceu durante anos com o Madeira Islands Open BPI. No caso da segunda divisão europeia, o Challenge Tour, o torneio assume o estatuto de «Major», um dos mais importantes eventos do ano. Em certa medida será mesmo o mais relevante, pois será o único torneio do Challenge Tour em 2017 em que o campeão é imediatamente promovido, ao oferecer uma isenção de um ano no circuito principal, o European Tour.

Nos dias 3 e 4 de março, a Câmara Municipal de Alcoutim vai levar a efeito, em colaboração com a Associação de Proprietários Florestais das Cumeadas do Baixo Guadiana, a segunda edição das «Jornadas do Mundo Rural». O evento decorrerá no Espaço Guadiana, em Alcoutim, e terá como temas centrais a Floresta e a Agricultura.
As jornadas contam com a participação de um conjunto prestigiado de oradores de instituições de relevância para o setor, com o objetivo estratégico e transversal de apresentar os desafios e oportunidades que os profissionais e as instituições têm de enfrentar, e sobre os quais importa refletir de forma global, contando com espaços abertos ao debate em torno das questões apresentadas. Luís Capoulas Santos, Ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, Fernando Severino, diretor regional de Agricultura e Pescas do Algarve, Valentina Calixto, diretora do Instituto da Conservação da Natureza e Florestas do Algarve, Miguel Freitas, professor universitário e membro da AMAL- Comunidade Intermunicipal do Algarve, Ricardo Bernardino, GAL Rural - Terras do Baixo Guadiana, são algumas das entidades convidadas para o evento, que contará ainda com perto de duas dezenas de oradores.
A reforma florestal, o Plano Regional de Ordenamento Florestal do Algarve (PROF do Algarve), as novas oportunidades na Agricultura como a apicultura, a cultura da amêndoa serão alguns dos temas apresentados no evento. Com abertura marcada para as 9h45 de sexta-feira, dia 3 de março, o evento tem participação gratuita e está aberto ao público em geral.
O Hospital Lusíadas Albufeira acaba de adquirir uma nova TAC (Tomografia Axial Computorizada) de 80 cortes. O novo equipamento reduz a radiação até 75 por cento, permite melhorar a qualidade de imagem e aumentar a precisão na realização de exames. “É um aparelho mais avançado, com menor tempo de aquisição nos exames, menor radiação e, consequentemente, mais seguro para os doentes. O novo aparelho reforça a aposta do grupo Lusíadas na melhoria contínua da prestação de cuidados de saúde à população algarvia”, explica Nuno Lourenço, diretor geral das Unidades Lusíadas no Algarve.
Numa altura em que são conhecidos os dados do registo oncológico regional que mostram que aumentaram os casos de cancro no Algarve, esta aposta do grupo pretende combater estes números e ajudar a diagnosticar mais cedo para que os doentes tenham acesso ao tratamento adequado atempadamente. O novo equipamento de TAC está disponível para exames programados e também para situações de urgência, 24 horas por dia. Para além dos habituais exames, o novo aparelho permite a realização de Angio TAC cardíacos e coronários, Uro TC, Enterografia por TC, Colonografia por TC e Dental Scan.
A realização destes exames estende-se também aos clientes do Hospital Lusíadas Faro e da Clínica Lusíadas Forum Algarve. O grupo Lusíadas Saúde tem acordos com as maiores seguradoras, nacionais e internacionais, e subsistemas de saúde. 
O britânico Phillip Spivey, montando Darya I Nur, foi o vencedor da prova de 1.45m que teve lugar no dia 23 de fevereiro. A prova de Tabela A, com um percurso composto por 11 obstáculos, contou para o para o Ranking Longines da FEI (Federação Equestre Internacional).
Julien Gonin com Soleil de Cornu CH, pela França, ficou em segundo lugar na prova de Ranking e a terceira posição foi conquistada pelo cavaleiro brasileiro Felipe Ramos Guinato com o cavalo Zenzero. O melhor português na competição de 1.45m, patrocinada por Sabino Sadle, foi Mário Wilson Fernandes, em sexto lugar.
Nas restantes provas CSI3* de quinta-feira (primeiras provas CSI3* da segunda semana do Vilamoura Atlantic Tour 2017), o britânico James Smith, com o cavalo Quattro 27, venceu a competição de 1.30m. Manon Jobin, pela França, conquistou o segundo lugar, com Picasso Sissart, e a dupla britânica constituída por Sophie Fawcett e Quite Cadiz ficou na terceira posição.
A prova de 1.35m foi também dominada pelos britânicos com o conjunto Timothy Page e Elvera a vencer. James Smith, com Cumina, também britânico, ficou em segundo lugar. O cavaleiro português Ricardo Gil Santos com o seu cavalo Zucchero concluiu a prova na terceira posição.
A competição promete aumentar de intensidade nos próximos dias com mais um Grande Prémio, no domingo à tarde. O Atlantic Tour 2017, que teve início a 14 de Fevereiro, termina a 2 de Abril, depois de seis semanas de competição.
Steven Sousa Piedade, presidente da Junta de Freguesia do Montenegro, José Rosa Nunes, presidente do Centro de Ténis de Faro e Paulo Santos, Vice-Presidente da Câmara Municipal de Faro
O Centro de Ténis de Faro organiza, pelo 25.º ano consecutivo, o torneio internacional de ténis «Faro Future Portugal 2», entre os dias 4 e 12 de março. Com um prize money de 15 mil dólares, a competição conta para o ranking mundial ATP Tour e terá a participação de 160 jogadores de ténis, em representação de mais de 30 países. “A caminhada teve início, em 1992, com o «Ladies Open», prova de 10 mil dólares exclusivas para senhoras. O ténis feminino é mais bonito, tecnicamente, de se ver e não estávamos habituados a ver atletas profissionais daquele nível”, recordou José Rosa Nunes, presidente da direção da entidade, durante a conferência de imprensa de apresentação do torneio.
Seis anos depois, o evento integrou o circuito de satélites de 25 mil dólares, antes de passar, já no novo milénio, para os «Future», de 10 mil dólares, um modelo onde as provas duram apenas uma semana e que atrai mais espetadores. “São três torneios seguidos, o primeiro em Vale do Lobo, depois Faro e, finalmente, em Loulé. Optámos por esta altura do ano por existirem menos torneios na Europa e a maior parte dos jogadores vem ao Algarve, graças às nossas fantásticas condições climatéricas”, explicou o dirigente. “Começamos com mais de 500 inscritos, mas o limite máximo permitido pela Federação Internacional de Ténis (ITF) para os «Future» é de 160 atletas. Para que não ficassem muitos de fora, as organizações das três semanas projetaram um pré-qualifying, onde os respetivos vencedores têm acesso ao quadro principal dos torneios”
Outra imposição recente da ITF é que os prize-moneys dos «Future» não podem ser inferiores aos 15 mil dólares, o que exigiu um maior esforço financeiro ao Centro de Ténis de Faro, mas José Rosa Nunes destacou a postura da Federação Portuguesa de Ténis que, pela primeira vez, suporta metade dos prémios monetários. Para além desta ajuda, o responsável pelo torneio deixou um agradecimento especial à Câmara Municipal de Faro, que retomou, em 2016, o apoio financeiro a esta instituição, num pacote anual que engloba todas as provas organizadas. “É um apoio fundamental para o clube crescer, não só para os eventos que dinamizamos, mas também para melhorar as instalações”, assumiu.
Parceiro importante é também a Junta de Freguesia do Montenegro, que este ano se juntou à organização do «Faro Future Portugal 2» e duplicou o apoio financeiro, a que se soma outros contributos em termos de logística. José Rosa Nunes fez ainda questão de agradecer à Garrafeira Soares e à Optimax, com o rol de patrocinadores a incluir também o Rialgarve e Hotel Baltum (hotéis oficiais do torneio), Frangaria, Crédito Agrícola, Decathlon e Artengo. “Tudo isto é essencial porque as despesas são avultadas. O torneio precisa de árbitros internacionais e só o orçamento para eles ronda os cinco a seis mil euros. São seis árbitros e o juiz-árbitro do torneio será o farense Marco Romão, que nasceu aqui no clube e, neste momento, é um dos mais conceituados do mundo”, referiu o professor Rosa Nunes. 
A ação arranca, então, nos dias 4, 5 e 6 de março, com o qualifying de 128 jogadores, seguindo-se o quadro principal. A final de pares está prevista para as 15h de dia 11 de março e a final de singulares para a mesma hora do dia seguinte e o torneio voltará a ter a cobertura da RTP2. “A televisão é um custo pesado, e suportado por nós, mas é fundamental para dar visibilidade aos nossos patrocinadores e para divulgar Faro e Montenegro durante a competição. Haverá ainda o livestreaming e qualquer pessoa, esteja onde estiver, pode ver os jogos dos campos 1 e 2, ao vivo”, revelou o presidente do Centro de Ténis de Faro, que falou ainda das receitas provenientes das apostas online. “Os árbitros de cadeira estão a dar, em tempo real, os resultados de todos os jogos e as apostas têm vindo a crescer de ano para ano. É uma verba que nos ajuda a cobrir as taxas de inscrição do torneio, porque temos que pagar 10 por cento do prize-money à ITF, ou seja, 1500 euros, mais 100 euros para a Federação Portuguesa de Ténis”.


Feitas as contas, o «Faro Future Portugal 2» é um torneio caro, mas que se paga a ele próprio, assegurou José Rosa Nunes, daí não haver receio em continuar a investir nele. “Fazemos à volta de 20 eventos ao longo do ano, todos têm a sua importância, desde os sociais aos oficiais, mas este é o internacional com maior responsabilidade”, reconheceu José Rosa Nunes. “Cada atleta deixa mais de 100 euros por dia no concelho e normalmente não vêm sozinhos, trazem o treinador, o pai ou a mãe, outros trazem namoradas ou amigos. Não é de admirar que, mal o torneio acaba, o comércio e a restauração local nos perguntem logo quando começa o próximo”, acrescentou o dirigente.
Presente da conferência esteva Paulo Santos, vice-presidente da Câmara Municipal de Faro, que enalteceu o contributo que a instituição tem dado, ao longo da sua existência, para a promoção do desporto no concelho. “O «Faro Future» é a grande montra internacional, mas há que louvar o constante empenho, dedicação e profissionalismo do Centro de Ténis de Faro, junto de todos os escalões etários. Quanto ao evento em concreto, são 10 dias com uma enorme afluência de pessoas, o que faz com que toda a economia local mexa, ainda por cima numa altura de época baixa”, salientou. “O Professor Rosa Nunes está permanentemente a reinventar-se, a evoluir, a inovar, e isso depois nota-se pelo reconhecimento que alcança, tendo sido eleito, mais uma vez, o clube algarvio do ano”.
Satisfeito com o sucesso do evento está igualmente Steven Sousa Piedade, presidente da Junta de Freguesia do Montenegro, confirmando o peso da atividade do Centro de Ténis de Faro na economia local. “Montenegro gira muito em torno dos estudantes mas ter cá, durante 10 dias, cerca de 400 pessoas, é um balão de oxigénio para o comércio. Mas há que salientar todo o trabalho desenvolvido na introdução de novas modalidades no Algarve, primeiro o Padel, agora o Padbol, que criam fatores de atração à freguesia. O professor Rosa Nunes é assim – ainda não concluiu um desafio, já está a pensar no próximo – e é isso que precisamos para a freguesia, para o concelho e para a região”.

São seis as categorias em que o Festival MED é finalista nos Iberian Festival Awards, onde vai disputar o prémio final com mais quatro festivais portugueses e cinco espanhóis. Nas categorias decididas pelo júri, o MED é finalista na qualidade de Melhor Promoção Turística, Melhor Programa Cultural e no Contributo para a Sustentabilidade. Já nas votações efetuadas pelo público, o MED está nomeado como Melhor Festival de Média Dimensão, Melhor Alinhamento Musical e Melhor Atuação - PT com o concerto de António Zambujo.
Os premiados serão anunciados no dia 16 de março, no MACBA – Museu de Arte Contemporânea de Barcelona, no mesmo dia que o Festival será oficialmente apresentado na BTL – Bolsa de Turismo de Lisboa. Recorde-se que os Iberian Festival Awards pretendem reconhecer todos aqueles que contribuíram para o sucesso dos festivais ao nível da organização, mas também da produção, logística, ativação de marcas, entre outras áreas, em Portugal e Espanha. 

Têm início em março os trabalhos de requalificação da Estrada Municipal 514, na União de Freguesias de Moncarapacho e Fuseta. A empreitada insere-se num conjunto de intervenções de beneficiação da rede viária municipal a que a Autarquia de Olhão tem vindo a proceder ao longo deste mandato.
A obra, que abrange o troço compreendido entre a Estrada Nacional 398 e a passagem inferior da A22, tem um prazo de execução de 60 dias e um custo de cerca de 197 mil euros. Os trabalhos contemplam, para além da repavimentação, o alargamento da faixa de rodagem, a pavimentação das bermas, o tratamento de bermas e taludes e a criação de uma valeta de betão, para um eficaz escoamento das águas pluviais. Este troço será ainda dotado de sinalização rodoviária horizontal e vertical renovada, de forma a reforçar as condições de segurança para peões e automobilistas.



As escolas e jardins-de-infância do concelho de Silves assinalam, no dia 21 de março, a Festa da Poesia, numa iniciativa promovida pela Rede de Bibliotecas de Silves e inserida na Semana da Leitura. Do programa de comemorações fazem parte atividades como declamação de poesia, decoração de árvores com poemas, criação de escultura comemorativa, ateliês, encenações, entre muitas outras.
As ações irão decorrer na EB 2,3 de Algoz, EB 2,3 de Armação de Pêra, Biblioteca Municipal de Silves, JI, EB1 e EB 2,3 Dr. Garcia Domingues, EB 2,3 João de Deus e Escola Secundária de Silves, estando prevista uma concentração de poesia nos Jardins Municipais de São Bartolomeu de Messines e de Silves (junto à Escola Secundária). Dar visibilidade à Rede Concelhia de Bibliotecas de Silves, divulgar o papel da Biblioteca como dinamizadora de uma cultura de Leitura, enquanto competência transversal às aprendizagens, envolver a comunidade nas dinâmicas das bibliotecas do concelho e desenvolver o gosto pela poesia, são alguns dos objetivos da Festa da Poesia.
Decorre, até 22 de abril, o período de candidaturas ao Edifício Multifuncional de Empresas (EME) de Castro Marim, cujas condições de acesso são estabelecidas no Regulamento de Funcionamento e Utilização do EME, disponível no site da Câmara Municipal de Castro Marim (http://cm-castromarim.pt/site/conteudo/apoio-empresas). O Edifício Multifuncional de Empresas foi criado com o objetivo de apoiar empreendedores locais e/ou regionais, promovendo o desenvolvimento de atividades económicas baseadas na inovação e nos setores estratégicos para o concelho de Castro Marim.
Para tal, disponibiliza um espaço físico para o desenvolvimento das respetivas atividades económicas e facilita o acesso a um conjunto de serviços e entidades parceiras, incentivando a implementação dos projetos no mercado e, simultaneamente, estimulando a criação de postos de trabalho. “Queremos valorizar empresas do setor primário, por exemplo, ligadas ao sal e à agricultura, do setor secundário e, finalmente, do setor terciário. Estas, apesar de estarem em terceiro lugar da hierarquia, poderão ser escolhidas em primeiro lugar se tiverem um carater empreendedor, inovador e com um grande cunho de empregabilidade de jovens”, explicou a vice-presidente da Câmara Municipal de Castro Marim, Filomena Sintra, acrescentando que haverá também espaço para «sedes virtuais», ou seja, para empresas que não precisam de um espaço físico, propriamente dito, mas “necessitam de um e-mail, uma caixa de correio ou de uma morada para receber encomendas”.
Os interessados poderão apresentar a sua candidatura, através do preenchimento de uma ficha de candidatura, fornecida pelos serviços municipais e também disponível no site www.cm-castromarim.pt,  que deverão entregar no Serviço de Expediente da Câmara Municipal ou remeter por correio eletrónico para o endereço expediente@cm-castromarim.pt



Nesta sexta-feira, dia 24 de fevereiro, o Ciclo de Tertúlias «Aqui entre nós» de São Brás de Alportel desafia a uma conversa de coração apertado, sobre um dos mais comuns transtornos ao bem-estar emocional dos nossos dias: a ansiedade.
Nesta edição, a tertúlia apresenta como convidados especiais Nuno Murcho, enfermeiro diretor no Centro Hospitalar do Algarve e anteriormente responsável pela Direção Regional do Instituto da Droga e da Toxicodependência, IP; e Joana Teixeira, psicóloga e investigadora, coordenadora e gestora de formação profissional no Centro Mind4UCenter, membro da direção da Associação Nós & Laços, para uma partilha de experiências e conhecimentos sobre esta matéria de extrema importância.
A ansiedade pode manifestar-se a nível físico ou a nível emocional ou ainda mediante a manifestação de vários sintomas físicos e emocionais ao mesmo tempo. Numa sociedade cada vez mais complexa e exigente, com um ritmo tão acelerado  transversal aos diferentes papéis que desempenhamos, é cada vez mais urgente conhecer a Ansiedade.

Música, Cinema, Workshops, Atividades Radicais, Programas de Férias e um novo Pólo fazem parte do Plano para 2017 para a área da Juventude. O GAJ – Gabinete da Juventude tem nova imagem e pretende chegar mais próximo dos jovens de Albufeira através de um conjunto de iniciativas que complementem aquilo que a autarquia já disponibiliza em domínios como o Desporto e a Educação. “Esta é uma área transversal a toda a nossa atuação, e o investimento, quer na Educação, quer no Desporto, ou na componente Social associada por exemplo às Bolsas Escolares, tem em vista o apoio aos mais jovens”, salientou Carlos Silva e Sousa, presidente da Câmara Municipal de Albufeira e vereador com o Pelouro da Juventude.
O autarca referiu igualmente a vontade do executivo em diversificar as atividades e programas de apoio para os jovens, daí notar-se uma nova dinâmica nesta área, “organizando um conjunto de iniciativas que possam envolver os jovens e dar-lhes motivos para se ligarem mais à vida social, cultural e desportiva de Albufeira”. “Por outro lado, estamos empenhados em disponibilizar mais e melhores ferramentas para que possam lidar melhor com questões relacionadas com a sua vivência diária, quer seja no contexto escolar ou social”, esclarece o edil.
A terem lugar no Auditório Municipal desde janeiro, os Concertos GAJ são já uma das referências desta nova dinâmica. São momentos musicais protagonizados por artistas mais ligados à Juventude que dão também a oportunidade para as bandas locais se mostrarem. Capicua, Diogo Piçarra e os locais Primes do Zé, já passaram pelo Auditório Municipal. Até maio, pelo menos uma vez por mês, haverá mais Concertos GAJ com nomes como Filipe Pinto, Orelha Negra e Freddy Locks, além dos artistas de Albufeira, Vítor Bacalhau, Ehliu e Ben & The Pirates.


O Cinema vai também fazer parte da oferta, com o ciclo Cinema GAJ a prometer um alinhamento que cruza cinema espetáculo, documentário e produção nacional. Com início já no dia 8 de março, o documentário «Amy», que mostra a vida e obra da artista britânica Amy Winehouse, venceu o Óscar em 2016, precisamente na categoria de «Melhor Documentário». Em abril, no dia 12, é tempo para «Need for Speed», uma adaptação da popular série de videojogos com o mesmo nome, da Electronic Arts. Em maio, «Where to Invade Next», parcialmente filmado em Portugal, traz-nos de volta o documentário, desta vez a cargo do lendário Michael Moore, responsável por trabalhos tão conhecidos como «Bowling for Columbine», «Sicko» ou «Fahrenheit 11/09». Em junho, o destaque vai para o cinema português com uma sessão dupla especial dedicada a dois dos clássicos absolutos nacionais e que foram recentemente alvo de novas versões. «O Leão da Estrela» e «O Pátio das Cantigas» prometem gargalhadas e boa disposição, na nossa língua.


São também muitos e variados os Workshops GAJ que irão acontecer mensalmente a partir de março. Cultura, Hobbies, Responsabilidade Social, Saúde e Futuro Profissional, são áreas em destaque. Os workshops serão de frequência gratuita e requerem marcação prévia. Teatro, (29 de março), Orientação Vocacional (5 de abril), Kizomba (26 de abril), Primeiros Socorros a Animais (3 de Maio), Yoga (21 de Junho), Procura do 1.º Emprego (20 de setembro), Snacks Saudáveis (18 de outubro), Fotografia Digital (15 e 22 de novembro) e Jiu Jitsu (6 de dezembro), são as áreas escolhidas para este ano.
As Férias GAJ vão continuar a fazer parte do Programa, com as atividades previstas para a Páscoa, Verão e Natal. Desporto, Cultura, Natureza e Formação são áreas que preenchem o dia-a-dia das Férias GAJ cujo período de inscrições será dado a conhecer muito em breve. As Cãominhadas GAJ, organizadas em parceria com a Associação Pata Ativa, são outra forma de ocupar os mais jovens e não só. A proposta passa por um passeio acompanhado com os respetivos animais de estimação e não ter animal de estimação deixou de ser desculpa, porque os cães do Centro de Bem Estar Animal aceitam passear com voluntários. O ponto de Partida é precisamente o Centro de Bem Estar Animal, situado junto aos Estaleiros Municipais, e à Escola Básica e Secundária de Albufeira, em Vale Pedras. A próxima Cãominhada é já no dia 25 de março.

«Lagos e o Algarve – Um Mar de Experiências» foi o mote da ação de dinamização e promoção turística que a Câmara Municipal de Lagos organizou, pelo sexto ano consecutivo. “Estamos a trabalhar no sentido de valorizar a região como destino de excelência para o turismo e só em conjunto e em parceria conseguimos chegar mais longe. O Algarve está a mexer e, se não esquecermos que não estamos sozinhos, mas que fazemos parte de uma região, será sempre mais fácil a nossa afirmação de grande destino de férias”, frisou a edil Maria Joaquina Matos. Já Alexandra Gonçalves, Diretora Regional de Cultura do Algarve, frisou a importância de repensar a forma como nos vamos posicionar no turismo. “Há muitos anos que não se verificava o aumento de turismo no Algarve desta forma, mas aquele turismo que conhecíamos já não existe. Temos de saber promover-nos através dos outros, e não para os outros”, apontou.
A iniciativa foi destinada a guias-intérpretes, operadores turísticos, unidades hoteleiras, empresas de animação turística e outras com atuação na área do município, tendo contado com um auditório repleto de interessados nas temáticas a ser apresentadas. Na sessão foram dados a conhecer projetos inovadores e de impacto cultural-turístico para o município e região, com destaque para: «Algarve – Segredos por Descobrir», por parte da RTA; «Lagos, cidade de história e tradição»: Apresentação da programação cultural para 2017 e «Lagos: Parcerias locais na animação turística», por parte da autarquia lacobrigense; «Discover Tours» – Novas Descobertas e Experiências: Uma Aposta de Sucesso na área das Marítimo-Turísticas em Lagos e «Lagos e o Algarve na Rota do Petisco» – Apresentação da Edição de 2017, pela Associação Teia D’Impulsos; «Circuitos Ciência Viva – Um Cartão, um Guia, uma APP»; «Experiências Únicas de Turismo de Natureza: A Rota Vicentina», pela Associação para a Promoção do Turismo de Natureza na Costa Alentejana e Vicentina. 

Vai ter lugar, no dia 4 de março, a partir das 9h, no Hotel VidaMar, na Herdade dos Salgados, em Albufeira, o encontro científico «Osteointegrasul». O evento, de âmbito nacional, é o primeiro do género na área da Medicina Dentária a decorrer na região do Algarve e destina-se a médicos dentistas, estudantes de Medicina Dentária e técnicos de Prótese Dentária.
O encontro, sob a forma de debate, irá abordar as últimas novidades no âmbito da Implantologia na Medicina Dentária, para o que irá contar com um painel de oradores de reconhecido mérito a nível nacional e internacional. A iniciativa integra também uma área de exposições, onde vão estar representadas várias marcas do setor.
O «Osteointegrasul» é uma organização da responsabilidade da Previdente, uma empresa na área da Medicina Dentária, com cerca de 19 anos de existência, com sede em Albufeira, e que conta com duas clínicas na região, nomeadamente em Ferreiras e Vilamoura. De acordo com a organização, são esperados cerca de 150 participantes, a que se deverão juntar os respetivos acompanhantes. “Estes eventos são uma mais-valia para o concelho, sobretudo porque são realizados durante a época baixa do turismo, contribuindo para a manutenção das atividades económicas e do emprego na região, sendo uma forma eficaz de combate à sazonalidade”, considera o presidente da Câmara Municipal de Albufeira, Carlos Silva e Sousa, acrescentando que o concelho tem todas as condições para receber este tipo de organizações. “Somos reconhecidos internacionalmente por saber receber bem quem nos visita, quer por motivos turísticos quer por razões profissionais, temos excelente capacidade hoteleira, bom clima, praias bonitas e de grande qualidade ambiental, ótima gastronomia, animação durante todo o ano, boas acessibilidades e condições de segurança. Somos a capital do turismo e já estamos muito bem posicionados a nível do Turismo Desportivo, de Congressos e de Negócios”, defende.

A Associação Terras do Infante, que integra os municípios de Aljezur, Lagos e Vila do Bispo, promoveu uma ação de sensibilização direcionada à promoção da segurança e saúde no trabalho dos sapadores florestais. A iniciativa decorreu no dia 20 de fevereiro, na freguesia de Bensafrim, e contou com o apoio Autoridade para as Condições de Trabalho (ACT).
A ação de sensibilização incidiu no domínio da prevenção de riscos profissionais em contexto real de trabalho e foram distribuídos folhetos sobre segurança e saúde, com destaque para a maquinaria pesada da área florestal, motosserras e moto-roçadoras, bem como instrumentos para avaliação de riscos e análise e investigação de acidentes de trabalho e registo de manutenção. Realizada no âmbito da Campanha Ibérica de Prevenção de Acidentes de Trabalho «Conhecer Melhor é Prevenir Melhor», esteve representado nesta ação o Centro Local de Portimão da ACT, através dos inspetores do trabalho Carlos Montemor e Ricardo Cardoso, e estiveram presentes os Sapadores Florestais e Técnicos da Associação Terras do Infante, Serviço Municipal de Proteção Civil de Lagos e Técnicos de Segurança do Trabalho do Município de Lagos. 

Um curso de iniciação à prova de vinhos (nível 1) terá lugar no dia 3 de março, entre as 9h30 e as 12h30, na Biblioteca Municipal de Silves. A iniciativa, promovida pela Câmara Municipal de Silves em parceria com a Comissão Vitivinícola do Algarve (CVR-Alg), não tem custos de inscrição e tem um número limitado de vagas. Quem desejar inscrever-se deverá fazê-lo junto do sector de Turismo da autarquia, através do email turismo@cm-silves.pt ou do telefone 282 440 800 (ext. 2744).
Esta é mais uma iniciativa que se desenvolve como promoção da marca «Vinhos de Silves», propriedade do Município, marca essa que pretende promover a produção vitivinícola do concelho e os produtores que ao longo dos últimos anos têm criado vinhos de excelência. A marca associa a promoção de um produto emblemático à promoção do território, dando a conhecer o que Silves tem de melhor e promovendo experiências únicas a quem nos visita.

O Clube Oriental de Pechão (COP) conseguiu, pela primeira vez na sua história, chegar ao pódio numa prova coletiva. O terceiro lugar conseguido no recente campeonato nacional feminino da 2ª divisão de pista coberta, que se disputou em Pombal, é o melhor resultado de sempre do clube e um dos melhores registados por equipas algarvias.
Quase a completar 68 anos, o COP, que já tem o seu lugar de destaque no atletismo nacional fruto dos grandes resultados ao nível da disciplina de marcha, nomeadamente através de Ana Cabecinha, entra agora também na história das outras disciplinas da modalidade, com este excelente e notável resultado. Individualmente, a grande figura do campeonato foi a atleta do Oriental de Pechão Fatoumata Diallo, que venceu os 400 metros (56s, 87centésimos), marca que passa a ser recorde nacional de Juvenis na distância, e que com 25s, 17centésimos, tornou-se igualmente na segunda atleta juvenil de sempre nos 200 metros.


Todas as atletas do COP exibiram-se a grande nível, tendo obtido quatro vitórias, tantas como a equipa vencedora, em 14 provas disputadas. Destaque igualmente para as marchadoras Ana Cabecinha, que «ajudou» a equipa nas provas de corrida, depois de ser segunda nos 1500 metros e foi destacada vencedora nos 3000 metros (10.10,40), e Laura Leal, que venceu os 3000 metros Marcha (14.34,02).
O desempenho das restantes atletas do Clube Oriental de Pechão foi igualmente muito positivo: Cláudia Pereira (3ª no lançamento do peso – 10,10cm); Érica Júlia (3ª no salto em altura – 1,51cm e 8ª no triplo salto – 10,07cm); Gabriela Cardoso (7ª no salto em comprimento – 4,41cm e 4ª nos 60 metros barreiras – 10,08cm – recorde pessoal); Edna Barros (5ª nos 800 metros – 2.26,80); Catarina Marques (5ª no salto com vara – 2,25cm); Inês Farias (8ª nos 60 metros – 8,51) e estafeta 4x400 metros (Inês Farias, Catarina Marques, Denise Semedo e Laura Lopes) DQ. Refira-se igualmente para as atletas Carolina Costa e Vanessa Conduto, que participaram na fase de apuramento. A prova foi ganha pelo CA Salesianos de Manique.